Archive for the Niver do Snape Category

E o aniversariante do mês é…

Posted in drabbles, Niver do Snape with tags , , , , , , , on 09/01/2014 by Naara Andrade

HEY! What´s up?

Dando uma espanada neste velho pedaço de metal escurecido, venho até vocês (re)inaugurar este altar dedicado ao nosso Mestre de Poções, nesta data mais que especial. Afinal, é nada mais, nada menos, que o dia em que recebemos o presente do nascimento do Homem-Mais-Corajoso-Em-Quem-Harry-Potter-Já-Desceu-Os-Zóios!

Para homenagear este dia, fizemos algumas drabbles, que continuarão sendo postadas no decorrer dos próximos dias (ou no decorrer do mês, quem sabe). Para começar, um texto feito pela nossa querida Natércia (um doce para quem lembrar quem é esta pessoa 😉

Espero que gostem!

*

Título: Abra os olhos

Autora: Natércia Azarobb (quem será essa?) / Ajudante coadjuvante: Naara Andrade

Palavras: 100

– Olhe… para… mim – Severus sussurrou com dificuldade. Ele encontrou os olhos verdes de Harry, os mesmos de Lily; em seguida, tudo escureceu.

Severus não saberia precisar quanto tempo se passou até constatar que estava novamente com os olhos abertos, contemplando os de Potter. A dor parecia ter se dissipado, embora se sentisse muito enfraquecido. Foi quando conseguiu fixar seu olhar além das pupilas cor de esmeralda que percebeu: o rosto e o corpo que contemplava já não pertenciam a Harry Potter, mas a alguém que já não via há muito tempo.

E Severus Snape não quis fechar os olhos novamente.

Sev & Lily_birthday embrace 2014

Fanart por: Naara Andrade

*

Título: Um dia perfeito

Autora: Natércia Azarobb

Palavras: 100

Ao acordar, na quinta-feira, Severus apreciou que seu aniversário caiu num dia de folga. Não aturar cabeças-ocas seria um presente. Pediria as refeições ali mesmo, nas masmorras. Assim, evitaria formalidades sociais indesejadas.

O dia transcorreu tranquilamente, entre músicas e leituras. Quase ao final da tarde, Severus pensou que, com a companhia certa, seu dia ficaria realmente perfeito.

– Não! Faz muito tempo que elas não aparecem…

Nesse momento, as proteções dos aposentos soaram, anunciando a aproximação de alguém. Ao abrir a porta, um riso mal disfarçado demonstrava que ele, de fato, ficaria satisfeito de comemorar seu aniversário com a companhia certa.

*

Título: Amizade

Autora: Sheyla Lopes

Palavras: 119

– OI. – Tudo bem?

– Tudo.

A menina de olhos verdes e cabelos muito avermelhados não acreditou na resposta desanimada do amigo.

– Sev…

– O quê? – a resposta curta, beirando o aborrecimento.

– Nada, eu só… – ela não conseguiu encará-lo. Reconheceu a tristeza no olhar duro, magoado para um menino de seis anos.

– Não precisa ficar assim, Sev… Olha, trouxe uma coisa para você.

Sorrindo ela pegou um pacote colorido que estava cuidadosamente escondendo atrás de si.

– Feliz Natal, Sev!

Severus Snape não acreditou, e seus jovens olhos perderam a tristeza que os escurecia.

– Lily, mas…

– Achou que eu esqueceria?

– Obrigado, mas… eu…

– Não precisa, Sev. Somos amigos, sempre seremos.

Fim.

*

Título: Bebemorando

Autora: Sheyla Lopes

Palavras: 250

– Isso não vai dar certo, Lily!

– Claro que vai! – ela sorriu. – é só o seu aniversário, precisamos “bebemorar”!

Olhos negros a encaravam irritados.

– Se nos pegarem…

– Não farão tal coisa, somos bruxos, lembra? Podemos aparatar de volta e nos safar dessa facilmente. Agora cala a boca vem comigo!

Ela o segurou firmemente pelo braço, puxando-o pelo pequeno beco escuro onde surgiram ‘do nada’ e seguiram pela rua.

– Oh claro, qual o plano infalível dessa vez?

– Por enquanto não tenho plano, apenas cala a boca e anda.

– Brilhante.

Eles andaram alguns metros até chegarem a um pub certamente mal frequentado.

– Seria mais fácil se transfigurássemos nossos rostos, comprássemos uma garrafa e saíssemos daqui logo!

– Seria mais fácil, mas sem nenhuma emoção.

– Então como faremos? Vamos entrar e pedir uma garrafa de uísque? É um bar trouxa, Lily, mas nem por isso eles são idiotas a ponto de vender bebida alcoólica para nós!

Lily enfiou a mão no bolso de suas vestes e retirou um manto de cor estranha de dentro dele.

– O que é isso?

Sem dizer nada, ela apenas jogou a capa sobre os ombros, desaparecendo sob o tecido aparentemente pesado.

– Uma capa de invisibilidade? Mas como? Onde você conseguiu uma?

– Isso, Mr. Obvio eu respondo depois, entre aqui e vamos pegar alguma coisa para beber. Horas e três quartos de uma garrafa de uísque depois eles, estavam sentados dentro das estufas, rindo e comemorando.

Fim.

*

Parabéns Sev!

Posted in Fanarts, Fanfiction, Niver do Snape with tags , on 09/01/2012 by Claire

Hoje é um dia de muita alegria e felicidade porque o nosso muso completa 52 aninhos de idade.

– Puxa, Sev, mais de meio século hein!?
– E o que é que tem?
– Agora é morro abaixo, meu filho!
– E por acaso, a Senhorita já percebeu que um tal sujeitinho aí que você também gosta, um tal de Mr. Darcy, já deve ter uns 300 anos? Eu sei que as outras também gostam dele.
– Calma, Sev. Não fica tristinho, você vai ser sempre um brilho novo em nossos corações.
– Tristinho?
– Ok, com ciúmes.

Para comemorar a hashtag HappyBDaySeverusSnape ficou um bom tempo nos Trending Topics do mundo no Twitter. Coisa de gente influente.
Além disso, algumas Snapetes também comemoraram produzindo artes e fanfics. Como esta da Naara:

A Naara também produziu uma fic que ainda não li… mas pode deixar que eu vou, viu Naara e vou comentar também. Cliquem aqui para acessar.

– Alguém avisa essa tal de Naara dos riscos que ela corre ao divulgar um texto que estas malucas lêem.

– Sev, tão velhinho e ainda fazendo mal-criação… tsc tsc tsc. Maluca eu vou ficar se você não parar de dar palpite e me deixar escrever o post.

A Lud também escreveu, olha só: O Mapa da Minha . Bom, mas ela acabou de colocar o link no twitter hehe então também não li.

– Não tem nem vergonha na cara de indicar um texto que não leu.

– Só você não percebeu que tudo isso é por devoção, porque se não fosse, eu já estaria na minha caminha dormindo.

– Sei bem de alguém devotamente sumida ultimamente.

– A Fer está viajando.

– Não é dela que estou falando.

– A Shey posta sempre aqui.

– Estou falando de você.

– Ah, mas sabe como é né… Melhor eu ir dormir.

– Ah, mas não vai mesmo. Até você me explicar tudo.

– Ok, mas vou demorar muuuuuito tempo, senta aqui pertinho, senta. =)

E mais alguém fez presentinhos por Sev neste níver? Ainda é tempo!

Day 1 – Marquise, mais uma vez

Posted in Fanarts, Fanfiction, Niver do Snape with tags , , , , , on 08/01/2012 by magalud

Espero que ninguém tenha nada contra dois posts no mesmo dia. Afinal, é o níver do Sev.

De novo, achei uma arte da Marquise. Pelo que consegui apurar, essa arte faz parte de uma fanfic. Agora eu quero ler a fanfic!!!!!

Mais uma vez, debaixo do cut…

Continue lendo

1 Dia – A misteriosa Elly

Posted in Fanarts, Niver do Snape with tags , , , , on 08/01/2012 by magalud

Garimpei, garimpei e achei mais uma arte da misteriosa Elly.

Será que é a mesma?

Na verdade, a autoria achava que essa era Lily, mas eu discordo

Severus Snape e Hermione Granger

2 Dias – Para esquentar o clima

Posted in Niver do Snape on 07/01/2012 by magalud

Já que este é o casal que a maioria das Snapetes gosta, eu quero dar uma esquentada nas comemorações.

Mestre, sei que não gosta de ver suas conquistas, mas La Divine Marquise (a pronúncia é Marquiiizi) foi a detentora original das codornas. Por que não podemos distribuir a boa fortuna?

É só clicar. Tive que deixar depois do cut porque.. bem… É para esquentar o clima.

Snapetes, desfrutem. Eu nem diminuí o tamanho da arte! 😉

Continue lendo

3Dias – Como passa rápido!

Posted in Fanarts, Niver do Snape, Visitas ao Snape with tags , , , on 06/01/2012 by Shey

POis é, faltam apenas 3 dias para o nosso advento. E como o tempo passa rápido, não é? Parece que foi ontem que começamos esse pequeno projeto, e parece que foi a menos tempo ainda que nos apaixonamos pelo Sev.

 

Falando em paixão eu me lembrei de uma das cenas mais lindas que li em toda a saga, e felizmente, encontrei uma fanart bem fofa que representa isso.

 

Watching Lily by TomScribble

Como eu sei que perdemos alguns dias nesse calendário, aqui estão algumas artes para compensar o nosso lapso.

Potter_7_DH __Young_Snape_Lily by ~somelatevisitor

In the Dungeon by *MirrorCradle

Espero que gostem!

beijinhos

Shey

6 Dias – Lembranças

Posted in Fanfiction, Niver do Snape, Visitas ao Snape with tags , , , , , on 04/01/2012 by marinasnape

Na minha estréia neste espaço, gostaria de postar o único capitulo sobrevivente de uma fanfic, que o meu pc comeu todinha. ( Arg)

….

Quando Eillen entrou na cozinha, encontrou o filho debruçado sobre a mesa, a cabeça pendendo entre as mãos, os cabelos lisos e sedosos agora, cobrindo seus martírios. Parou na porta por um instante e ficou observando. Temendo romper aquele frágil momento, no qual o filho despira sua fantasia de implacável.

Afinal ela era a única culpada de tudo isso. Culpava-se por deixar o Sr. Snape no comando da situação, por tempo demais. Demorara em tomar as rédeas de sua vida e assumir a bruxa que era. Descuidara das companhias que andavam com seu filho, seu único filho.

Se ele fez escolhas erradas na vida, sempre assumiu cada uma das suas atitudes e nunca cobrou nada de ninguém. Muito menos dela, mas Ellen era capaz de ver os seus próprios erros se refletindo nas atitudes de Severo.

Colocou a mão em seu ombro. Ele apenas voltou-se, girou na cadeira ainda sentado, e sem levantar os olhos, abraçou-a na altura da cintura. A cabeça comprimindo o seu ventre. As mãos dela afagando os seus cabelos. O homem parecia ter voltado aos cinco anos, assumido a mesma postura de quando era injustiçado pelo pai e pedia um mudo socorro à mãe.  Porém agora era diferente, o Sr. Snape não estava mais entre eles e ela podia, e sabia como ajudá-lo.

-Mas filho, se essa moça é tão importante para você, porque não toma uma atitude. Não vá perder outra vez a carruagem da sua vida.

-Não sei do que você está falando mulher – os olhos perdidos em algum lugar a suas costas.

– Severo, eu não sou cega. Pensa que não percebo como seu sangue ferve quando você se refere à sua nova assistente? É uma das poucas vezes que o seu coração consegue atear fogo aos seus olhos.

– Enlouqueceu de vez Eillen? Que disparate! Você e aquele velho gagá andaram confabulando pelas minhas costas? Porque em nada isso me surpreenderia caso fosse verdade. Aliás,  como alguém pode viver ao lado daquela insuportável sabe tudo?

– Pois é, deve ser difícil para um insuportável sabe tudo conviver com outro, não é meu filho? Afagou os cabelos dele novamente, desta vez com um sorriso bondoso nos lábios. Sem deixar que ele mudasse de posição.

– O que você está insinuando com isso? – ele continuava fugindo do seu olhar.  Eu conheço aquela mulher desde que ela tinha 11 anos – a palavra mulher outra vez soando estranha aos seus ouvidos – aquela criança, corrigiu-se. Ela sempre foi intragável. Fazendo de tudo para chamar minha atenção o tempo todo. Monopolizando as aulas. Querendo sempre saber mais do que ” Eu”  – Bufou, soltando-se dos braços da mãe e apontando indignado para o próprio peito, de modo a ilustrar o seu despeito.

– A senhorita-certinha-sabe-tudo-Granger. Como se não bastasse o Ministério tê-la enfiado no meu projeto. Xeretando e fiscalizando tudo o que eu faço, agora ainda tenho que agüentar o noivo dela, outro insuportável, rondando as minhas masmorras. O senhor simpatia e sorrisos.  É nojento ver os dois se agarrando pelos corredores e pelo pátio do castelo. Exibicionistas é o que são!  Lílian que me perdoe, mas aquele filho dela é insuportavelmente insuportável. E nem o fato de eu dever minha vida a ele, o torna menos repugnante.

Eillen sorriu consigo mesma. Acabara de presenciar a mais clássica e antiga cena do mundo: ciúme mortal.

– Severo, a quem você quer iludir?Eu percebo o modo como você olha para ela, ainda é do mesmo modo que vi, no dia que encontrei ela na sua cama, a muitos anos atrás.  E por mais que você tenha provado a sua inocência naquela ocasião, aquele banho frio do qual você saia, não foi por falta de aquecimento na casa. A quem você esta querendo enganar. A sua mãe?

Ele estava cansado, a sua mente estava de pernas para o ar, sua vida estava assim. Só conseguia dormir nos últimos tempos, após esvaziar sua mente na penseira e acabar com uma garrafa de Firewisky. O paradoxo  entre sua promessa ao pai e aquele par de olhos castanhos era sem solução. Nunca poderia tê-los. Era um homem de palavra e não faltaria com aquela empenhada ao leito de morte do patriarca. Mesmo que isso fosse como morrer outra vez. Cansado de ocultar seus sentimentos, desabou na frente da mãe, verbalizando pela primeira vez o que pesava no seu coração.

– Eu sou completamente apaixonado por ela mãe – confessou num sussurro, as mãos escondendo o rosto e os cotovelos voltando a apoiar o corpo na mesa. O leve tremor que agitava seu corpo poderia levar Eillen a pensar que o filho chorava, mesmo que nenhum som fosse emitido. Preferiu deixa-lo dar vazão ao que corroia sua alma até se acalmar e tornar a falar.

– Mas você mais do que ninguém sabe, que sou um homem comprometido e tenho que, cumprir minha profecia pessoal. – falou em desespero.

– Severo, não seja tão rígido com você mesmo. Essa promessa tola, feita a seu pai no seu leito de morte, pode acabar com sua vida. Você não pode levar a sério um contrato feito pelo seu pai com um trouxa que nem conhecemos. Poderá passar toda a sua vida e você nunca encontrar essa moça. Eu te imploro filho, deixe essa loucura de profecia de lado e viva a sua vida, ou você acha que vai ter quantas chances de ser feliz???

– Eu prometi ao meu pai um herdeiro e um herdeiro eu darei a esta família. Nem que seja a ultima coisa que eu faça. A família Snape não vai morrer comigo. E se é preciso que eu me case com uma das doze escolhidas. Assim o farei.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

– Senhorita Marina, que disparate completo é isso que estou lendo aqui em cima?

– Ah, a, ah… Você estava ai é?  Hum… Hoje não era o seu dia de visitar a Fernanda não?

– Não me venha com desculpas furadas. Calúnia, Difamação, para não esquecer de  FOFOCA. Falar deste jeito da minha vida? Que audácia.  Eu nunca fiz isso… muito menos fui chorar na saia da mamãe… Apague isso agora. Retire o que disse.

– Não , não e não Sev. Assuma como adulto que é o que acontece na sua vida. Quem esta ultrajada agora sou eu.

O som da porta da masmorra batendo é o sinal para ele pegar o papel e reler outra vez.

– De onde essa menina descobriu tudo isso?