Archive for the Férias do Snape Category

Bye-bye, Brasil

Posted in Fanfiction, Férias do Snape with tags , , , on 27/11/2011 by ferporcel

Fer tira os olhos do espetáculo lindo que a natureza oferece e suspira.

— Está bem, eu vou lá.

Ela deixa Shey e Claire na varanda e desce até a beira do rio. Seus passos passam despercebidos pelo homem agachado ali, imerso nos sons de pássaros em revoada.

— Boa tarde, Sev.

Ele lança um olhar breve em sua direção, mas sem dizer nada volta a contemplar as águas avermelhadas. Fer, respeitosa do momento de comunhão entre homem e natureza, apenas se acomoda ao lado de Severo e espera pacientemente.

— O lago de Hogwarts não tem uma moldura tão linda quanto esta, e mesmo assim é inevitável olhar para as águas calmas e não esperar que a qualquer momento um dos tentáculos da lula gigante vá aparecer.

Fer analisa cuidadosamente a declaração antes de comentar:

— Coração dividido é uma droga.

Eles retomam o silêncio contemplativo. Não é de hoje que Fer e as outras o convidam para mudar de pátria, deixar o passado da guerra e do sofrimento para trás e vir viver no Brasil.

— Com quem está a Chave de Portal?

A pergunta tira qualquer chance dele finalmente aceitar o convite. Se bem que a esperança deve ser sempre a última a morrer.

— Tem certeza que não quer passar mais uns dias por aqui? Não tenho dúvidas que a Marina, ou a Clau, ou a Cristie, ou… — Fer interrompe a lista ao ver a expressão de tristeza tomar o rosto de Severo. — A Chave de Portal está comigo — ela diz simplesmente, retirando um pingente de pedra negra em formato de urso do bolso traseiro da calça e mostrando-o a ele.

Ao ver o objeto, os olhos de Severo se amenizam. Fer sorri, entregando o presente disfarçado a ele. Severo se levanta e lhe oferece a mão para ajudá-la a fazer o mesmo.

— Obrigado — ele agradece, e Fer tem certeza que não é só pelo presente que acabou de lhe dar em nome de todas, mas também pela amizade e amor que essas férias lhe forçaram a reconhecer que todas têm por ele.

— Você sabe que pode nos visitar sempre que quiser, não é?

Um canto de sua boca se ergue enquanto caminham devagar de volta à varanda onde as outras esperam.

— Acho que aprendi a lição — ele admite antes de chegarem até Shey e Claire, que se joga nos braços dele.

— Sev! Pensei que não te veria mais depois da Shey sumir com você do mapa!

— Ninguém sumiu de mapa nenhum! Não tenho culpa se o sinal de celular perto do igarapé é praticamente nulo — Shey retruca.

— A Chave deve ativar em dois minutos — Fer interrompe para avisar.

— Vou pegar suas coisas — Shey diz, entrando na casa.

— Fica, Sev — Claire pede.

— Devo voltar para a Escócia. Imagina o pandemônio que os cabeças-ocas já não criaram na minha ausência?

— Nha! Deixa os cabeças-ocas para lá!

Ele oferece um raro sorriso a Claire, mas não larga o ursinho negro. Shey volta com uma mala e eles também trocam despedidas enriquecidas por sarcasmo – a forma preferida pelos dois para ignorar os sentimentos que realmente os assolam o coração.

— Tchau, Sev — Fer diz. — Vê se não se estressa tanto. Você fica melhor quando está relaxado.

Ele revira os olhos, mas um sorrisinho escapa antes dele dizer:

— Obrigado pela hospitalidade.

E então a Chave de Portal o leva para o outro lado do Atlântico, que pode ser fisicamente muito longe, mas que nunca será distância alguma para os seus corações.

Anúncios

Parte 3 – fim das férias…

Posted in Fanarts, Fanfiction, Férias do Snape with tags , , , , on 26/11/2011 by Shey

Semanas se passaram, e como nenhuma Snapete foi buscá-lo, Snape permaneceu em Belém apreciando o calor dos trópicos e a hospitalidade nortista. Desta maneira, o casal caminhava pela areia da praia sem se preocupar com o tempo enquanto apreciava mais um dia belo e ensolarado.

— Eu não falei que seria divertido?

— De fato, foi uma experiência… interessante.

— Falou o homem que quase comprou todas as ervas amazônicas que encontrou no ver-o-peso! — Ela riu leve.

— Tenho que admitir que encontrei alguns itens interessantes.

— Alguns? Você gastou uma pequena fortuna naquela barraca, Sev. E admita, você se divertiu!

— De fato.

— Eu só vi seus olhos brilharem daquele jeito quando encontramos aquele igarapé no seu segundo dia aqui. — Shey riu com gosto ignorando a carranca que ele fez.

— Aquilo não foi engraçado.

— Claro que foi, sua cara de alívio por ver água corrente depois de caminhar por tanta areia foi… foi… fantástica! Você não sabia se corria pra água ou esperava pra saber se era algum tipo de miragem.

— Não exagere, eu não sabia que andaríamos tanto depois da praia.

— Nem eu, senhor “eu não vou ficar de sunga em público”!

Nova carranca que a fez sorrir, mas ele não a deixou sem uma resposta.

— A senhorita também não reclamou depois de encontrarmos um lugar mais… reservado.

— Quem, eu? Mas quando?! — Ela sorriu inocente. — Por que eu vou reclamar de uma coisa dessas?

— Foi o que pensei.

— Exato, e conhecendo o senhor, sei que está louco por outra dose de sorvete. Quem diria, Severo Snape é um apaixonado por sorvete de…

— De qualquer coisa que esteja gelada!

— Qual é, Sev? Pensei que já estava acostumando com o calor! Olha só o tempo que você está aqui, nem está tão quente hoje, você tem que concordar.

— Humf! — ele resmungou.

— Concordo que foi um choque térmico, mas você acostumou, né?

— Ok, eu acostumei.

— Eu sabia! — Ela riu. — E você fica bem melhor sem aquele monte de roupa.

Neste momento uma grande coruja pairou sobre eles e deixou cair um envelope.

— Ih, parece que se lembraram de nós!

— Estava me perguntando quanto tempo essa paz duraria.

— Não seja mau, elas não vão aprontar com você. “Não muito!” — ela acrescentou enquanto pegava o envelope e soltava a coruja.

Shey riu e abriu o envelope.

— Veja o lado bom, não é um berrador.

— Leia logo e diga qual a minha sentença!

— Que dramático! — Ela fez uma pausa enquanto lia e acrescentou, rindo: — Bem, basicamente fui acusada de sequestrar um certo Mestre de Poções e tenho que devolvê-lo até sexta-feira ou você será sequestrado de volta.

— Posso ver o quanto fiz falta.

— Nós te amamos, ainda não percebeu?

Ele ficou muito quieto, olhando pra ela sem responder.

— Anda, temos mais um dia inteirinho para aproveitar, e como sou boazinha, você pode gastar fazendo o que quiser!

— O que eu quiser?

— Sim, o que quiser. Diga e faremos!

O olhar dele disse tudo, e ela apenas respondeu:

— Ok, vamos pegar sua sunga!

Sexta-feira chegou e se foi sem ninguém aparecer e nenhuma chave de portal ser ativada, até que no final da tarde a campainha tocou.

— Olha só, veja quem apareceu. Oi, Fer! Oi, Claire!

— Onde foi que você se meteu, Shey? Era pra ficar com o Sev um dia, UM dia, e não um mês!

— Calma, Claire, ele não tinha onde ficar, ninguém me deu programação nenhuma de onde era o próximo lugar, então…

— Então você resolveu ficar com ele. Muito espertinha, Dona Shey, agora devolve o Sev!

— Calma, Fer, seu ‘amigo’ foi muito bem tratado. Ele está ali fora, foi pegar um ar na praia.

As três chegaram à pequena varanda e apreciaram o melhor pôr-do-sol do mundo.

— Viu, ele está vivo e bem cuidado. Agora, enquanto as senhoritas babam, eu tenho que tirar uma foto disso!

E essa foi a foto no fim do dia. Ele não parece fofo ao pôr-do-sol?

Parte 2 – Um pouco de calor e sol

Posted in Fanarts, Fanfiction, Férias do Snape with tags , , , on 04/09/2011 by Shey

Ela chegou à porta do quarto do hotel, bateu e abriu antes dele responder.

— Chega de tanto protetor solar, Sevie, você bem que precisa pegar uma corzinha! — Ela parou assim que entrou.

Ninguém no quarto. Ninguém no banheiro. Andou até a varanda para encontrá-lo sentado lá, um copo e uma jarra de alguma bebida gelada descansava sobre uma pequena mesa, mas o que mais a espantou foi o homem sentado na cadeira. Severo estava esparramado nela, as pernas da calça dobradas quase até o joelho numa tentativa de deixar o máximo do seu corpo a mercê da leve brisa que passava na varanda. Ao menos, o máximo que o seu pudor britânico permitia.

Aquilo a fez rir por dentro, mas Shey teria que aguentar firme se quisesse tirá-lo dali. Então, sorrateiramente, ela puxou uma câmera digital da bolsa e tirou uma foto.

Fanarte by RatCerature.

Shey admirava a foto no mostrador da câmera e não notou que Snape havia acordado com o barulho do flash.

— O que a senhorita pensa que está fazendo?

— Nada, só checando a bateria. Agora a pergunta certa é o que o senhor está fazendo aqui? — Tentou mostrar indignação, mas foi inútil esconder o sorriso. — Estou na portaria te esperando há quase meia hora.

— Tentando impedir minha combustão espontânea!

Shey riu baixinho, mas parou diante do olhar enfurecido.

— Ah, não está tão quente assim. Vamos lá fora e você verá. Tem vento, sombra das árvores…

— … e um sol inumanamente escaldante. Eu passo! Ouvi dizer que esta cidade fica em cima da maldita linha do equador. Por Merlin, nunca vi um sol tão forte!

— A cidade tem nome, Sev, chama Belém do Pará, e não fica “em cima da maldita linha do equador”, ela fica pouco mais de quatro graus ABAIXO da dita linha.

— Isso é realmente um alívio, agradeço a informação.

— Qual é, Sev, vai ser divertido! Quero te levar num lugar bonito. Podemos tomar banho de igarapé, é um tipo de riacho, sabe? Vai ser gostoso. Anda, vem comigo.

— Já disse que não vou!

Shey fez cara de magoada.

— É, mas você foi num Spa com a Fer, numa balada com a Aline, e comigo tá nesse doce?

— Está muito quente.

— Exatamente por isso, Sev. É pra refrescar!

— Refrescar? Eu vou entrar em combustão se for lá fora!

— Oh, não! Você é um vampiro e está com medo de brilhar a luz do sol até virar purpurina!?

— O quê?

— Bem, é isso que eles viram hoje em dia, não é?

A carranca dele não a permitiu segurar o riso.

— Anda, nem está tão quente assim. Prometo que te pago um sorvete do tamanho que quiser. E traz o guarda-chuva; ele pode ajudar.

— Eu não vou andar com aquela monstruosidade colorida! É o tipo de coisa que Alvo escolheria.

Shey não aguentou, deu dois passos para frente, agarrou as mãos dele e o puxou para fora da cadeira e da varanda, o sotaque paraense que ela tentava segurar aflorando em meio a raiva:

Égua do “caboco” mole! Levanta dai, bora!

Surpreso com a reação dela, Snape não teve outra alternativa a não ser seguir a Shey. Não sem antes pegar o guarda-chuva que estava encostado perto da porta de saída.

Parte 1 – Espera…

Posted in Fanfiction, Férias do Snape with tags , on 04/09/2011 by Shey

Horas de espera e nenhum sinal.

— Quando esses dois chegarem… aff!

Só depois do que pareceram séculos, e várias ligações para o celular da Fer, ela ouviu o barulho do motor de um carro se aproximando.

— Isso são horas? Onde os pombinhos se meteram? — Shey sorriu para a amiga enquanto ignorava a carranca do homem vestido de preto. — Esquece, pela cara de felicidade da Fer, o Sev deve ter experimentado a sunga nova dele.

— Aff, Shey. Nós somos amigos! E eu só o levei pra relaxar num Spa, só isso!

— Ah… Um Spa… Sei. Poooxa, porque eu não tive essa ideia?! — murmurou sonhadora por alguns instantes. — Ok, não precisa dizer mais nada, eu já entendi tudinho. E não, Sev, não adianta você levantar essa sobrancelha pra mim.

Fer apenas sacudiu a cabeça com ar de vencida.

— Toma conta direitinho dele, Shey.

— Pode deixar! Não vou judiar dele, prometo! — E com a melhor cara e voz inocente, Shey se vira para o Sev. — Então, Sev, pronto pra se divertir?— Como se eu tivesse alguma escolha nisso tudo.

— Ha-Ha-Ha! Você é sempre tão engraçado! Agora vamos, porque já adiei o horário da chave de portal duas vezes. Mais uma e teremos que ir de avião.

Ela puxou um guarda-chuva colorido e entregou-o para Snape, que fez uma cara tão ultrajada que a fez rir alto.

— Para que, em nome de Salazar, eu precisaria de uma monstruosidade dessas?

— É a nossa chave de portal, seu bobo, e acredite em mim, você vai precisar dele.

Resmungando, ele se despediu da Fer e agarrou o objeto.

— Até outro dia, Fer! — Shey também se despediu.

Eles desapareceram.

Ainda no SPA…

Posted in Fanarts, Férias do Snape with tags , , , on 02/08/2011 by ferporcel

Tem gente se acostumando com a vida boa das férias…

KneadingTheHalfBloodPrince II by *Sempraseverus on deviantART

SPA com Snape

Posted in Fanfiction, Férias do Snape with tags , , , on 30/07/2011 by ferporcel

— Ô de casa!

Fer ouve latidos e espera. Não demora muito e Claire aparece.

— Ah, você veio. Achei que tinha esquecido o Sev aqui.

— Não esqueci do Sev não. Estava ajeitando tudo para a estadia dele comigo.

— Então você conseguiu uma vaga?

— Vaga para o quê? — Sev entra na conversa, vindo de dentro da casa.

— Vejo que o tempo a mais que demos para ele entrar no clima de férias não foram suficientes — Fer comenta com Claire, ignorando a cara de poucos amigos dele.

— Sev, a Fer veio lhe buscar. Você está pronto para me deixar? — Claire faz cara de desolação.

Fer revira os olhos. — Vamos, Sev. Daqui até nosso destino temos uma hora de viagem.

— E onde seria esse destino?

— É surpresa. — Fer sorriu e trocou olhares com Claire, que riu baixinho.

o0O0o

— Chegamos, Sev. Vamos passar o fim de semana aqui.

— Aqui onde? Que lugar é esse?

Fer estaciona o carro e vira para ele, sorrindo. — Um SPA. Não viu a placa?

— SPA? Mas que diabos…

Fer saiu do carro e deixou ele reclamando sozinho. Logo ele a seguia para a recepção do lugar.

— Sejam bem-vindos ao SPA Sorocaba. Em que posso ajudá-los?

— Temos uma reserva. O nome é Prince.

A moça sorridente se ocupou com o computador da recepção. Fer aproveitou para espiar a cara do Sev.

— Vamos ver até quando dura essa sua cara feia — ela o desafiou.

— Vocês ficarão em nossa suíte luxo. Acompanhem-me, por favor.

o0O0o

— Sev, é a sunga ou é nada, você escolhe!

Fer já estava cansada da discussão. Como ele esperava entrar num ofurô coberto dos pés ao pescoço em roupas? Francamente…

— E não resmunga. Estou lhe esperando no corredor. Você tem cinco minutos.

Em quatro, Sev apareceu com o roupão preto do SPA e os chinelos que Claire havia comprado para ele.

— Tá lindo. Ficaria melhor se sorrisse. — Fer levantou os cantos da boca dele com os dedos. — Assim. Não se mexe! — Ela riu com a expressão feroz do olhar dele.

Ofurô

Minutos depois, a guerra recomeçou…

— Sev, você não pode entrar na água de roupão! — Ela tentou puxar a faixa que mantinha o roupão fechado, mas sem sucesso. — Tá bom! Eu vou aproveitar o ofurô sozinha, então.

Fer o deixou emburrado no meio do recinto e entrou no ofurô, suspirando e se acomodando para relaxar. Quando já estava de olhos fechados, ouviu a voz dele.

— O que é isso na água?

— Sou eu, Sev. — Fer riu, sabendo que não era essa a resposta que ele queria. — São ervas, claro.

— Isso eu sei, mas que ervas?

— Não sei. Só sei que está bom demais.

Fer só ouviu uns resmungos e abriu um dos olhos para ver qual era o problema. Deu de cara com o Sev de sunga e sorriu.

— Vem, Sev. Tá uma delícia.

o0O0o

— Sev. — Era a terceira vez que o chamava. — Sev!

Um olho se abriu preguiçoso.

— Está na hora da massagem.

Ele só resmungou e fechou os olhos novamente. Ela riu.

— Sev.

— Hum.

— Sai da água.

— Hum.

— Você está virando uma uva passa, daquelas brancas.

O olho dele se abriu para olhar feio para ela.

— Vem, sai da água. — Fer o puxou pelo braço. — Vamos para a massagem.

— Que tipo de massagem.

— Com pedras, Sev. Vai ser ótimo para os seus músculos e melhor ainda para você dormir beeeeem tranquilo à noite. Vem!

Ele finalmente saiu do ofurô, nem se importando em estar só de sunga. Fer sorriu novamente; o plano estava dando certo.

Massagem com pedras

Sorvete

Posted in Fanfiction, Férias do Snape with tags , , on 28/07/2011 by Claire


Ele estava sentando no sofá da sala e tinha a mala pronta ao seu pé. Mas Claire já sabia que ninguém viria buscá-lo. Não agora.

— Então é isso , Sev, ela não vem mais… — Claire tomava sorvete enquanto falava com ele, já o sorvete dele estava na mesa do centro da sala, intacto.

— Não tenha tanta certeza, Senhorita Dlune.

— Mas eu confesso, Sev, que eu gosto da idéia de te ter aqui até o final das suas férias.

— Desde que você não me leve mais naquele lugar barulhento.

— Eu sei… Eu sei… Você precisa relaxar mais. Que tal se você vestir aquela linda camisa de abacaxis, e nós irmos dar uma volta. Sei lá… Ir ver o Pôr-do-Sol.

— Só explica, o motivo de eu ter que vestir aquela camisa ridícula para sair daqui. — Ele perguntou cortante.

— Você tem que entrar no clima de férias, ficar mais tranquilo.

Ele bufou e ela deu de ombros. Ela sentou do lado dele e continuou a tomar sorvete.

— De que sabor é o sorvete?

— O meu é de morango. — Ele assentiu. — Quer provar?

— Não, obrigado.

— O seu é de chocolate. — Assim, ela pegou o sorvete da mesa e provou uma colher.

— Com licença, senhorita Dlune, mas a senhorita já tem o seu. — Ele disse tirando o sorvete da mão dela.

— Eu só experimentei. – Ela disse enquanto o viu comer.

O barulho de satisfação vindo do fundo da garganta dele era tentador.

— Se você quiser provar, tem que ser do meu jeito. — Ele falou em desafio.

Então ela pensou que se as Snapetes esquecessem que ele ainda estava na casa dela, ela não iria ligar.

— Posso provar então?