Archive for the drabbles Category

Sensação conhecida

Posted in drabbles, Fanfiction, Visitas ao Snape on 21/11/2016 by Claire

Era mais uma daquelas festas no Três Vassouras, Snape tomava uma cerveja amanteigada no canto do lugar. Alguns casais dançavam na pista, eram músicas nem lentas e nem agitadas demais. Ele só observava. Dumbledore tentou lhe arrumar alguns encontros às cegas, até que desistiu ou ouviu que não era o que ele queria. Mesmo assim ele ainda ia naquelas festas, gostava de observar as pessoas e também gostava do torpor da bebida. Após da queda Daquele-que-não-deve-ser-nomeado para o Menino que Sobreviveu o mundo mágico era assim, meio cheio de festa. Não para ele.

Observou uma jovem que foi deixada a margem da pista de dança, esperando pela amiga que foi dançar. Ela tinha a pele morena e os cabelos escuros e lisos, óculos de aro de tartaruga. Era um pouco desajeitada e não sabia o que fazer ali onde estava. Tomou o final de sua cerveja e respirou fundo. Não era de sua personalidade ser gentil ou mesmo galante. Era na verdade um pouco de egoísmo, acabar com uma situação qual lhe desagradava. Decidiu caminhar até ela, ele ainda não sabia como abordá-la, mas iria tentar mesmo assim.

– Você não precisa ficar aí… – Ele se ouviu dizer e ela olhou desconfiada. Ele não tinha tato para iniciar uma conversa trivial.

– Me desculpa… – Ela disse incomodada. – Vou sair daqui.

– Não se preocupe comigo, eu estou acostumado a ficar ali no canto.

Isso estranhamente a fez sorrir.

– Você quer dançar? – Ela disse.

– Eu não sei dançar esse tipo de música. – Ele respondeu subitamente.

Ela o avaliou, ele parecia bem mau humorado.

– Pode me acompanhar numa bebida, então?

– Tenho uma mesa ali no fundo… – Ele apontou. – Vamos sentar lá.

– Claro! – Ela aceitou e ele a viu caminhar até lá.

Mas o que viria a seguir?

– Argh… Já sei, segunda-feira – Ele disse quando a viu.
– Essa nossa conversa está ficando repetitiva, Sev. Tenho saudades, poxa…
– Mas sei que as coisas andam meio movimentadas, não?
– Como sabe?
Ele se levantou chegando bem perto dela, lhe tocando o rosto.
– A senhorita está corada… curioso.
– Er… Tomei sol?
– Não acredito nem um pouco.
Ela bufou e os olhos dele brilharam vitoriosos.
– Vem, senta aqui e descanse um pouco. – Ele disse puxando a mão dela em direção a sua poltrona. – Agora, deixe-me tirar algumas informações de você…

Sev é sempre nosso porto seguro, né?

Uma drabble 3×100 para a gente se perguntar sobre quem salvou quem.

Sem Spoilers de nada. 😉

Anúncios

A Corça Prateada

Posted in drabbles, Fanfiction, Visitas ao Snape on 15/08/2016 by Claire

44f978d7fb30096a581604e680dc6ee6

Foi possível ouvir alguns boatos pós-guerra que a mágica fundamental dos bruxos que morreram defendendo Hogwarts e o Mundo Mágico permanecera ali, para que nenhum pedaço de esperança no amanhã fosse ceifado novamente. Dizem que a orla da floresta reluzia prateada nas noites mais escuras e que aqueles eram os patronos que ainda ali rondavam.

Foi numa ronda noturna que Hagrid pode ver, a pequena corça prateada que caminhava leve perto de uma clareira. Hagrid sentiu os olhos lacrimejarem ao pensar em Lilly Potter.

– Não se preocupe, Lilly, estão todos seguros agora. – Ele disse a corça.

A pequena corça acenou com a cabeça de forma séria, não delicada, nem carinhosa como seria Lilly. Hagrid piscou tentando entender, mas a corça partiu leve floresta a dentro, sem dar explicações. Ele pensou, sem muito saber o motivo, que aquele Patrono não era o de Lilly, não se parecia com ela.

Tentou-se recordar sem saber de quem poderia ser, ele apenas se sentiu seguro e com saudades de seus bons amigos. Desejou que eles pudessem finalmente descansar em paz e partiu de volta para a sua casa.

Hagrid apenas sabia que aquela mágica, tão forte, só poderia ficar ali por muito tempo.

Com a cabeça enfiada novamente num livro ele a encontrou na masmorra.
– A senhorita lê demais. – Ele disse achando tudo aquilo muito suspeiro.
– Preciso de mais idéias!
– Mas a pergunta é, porque você lê aqui?
– Porque a história é sobre você, e eu tinha que te contar isso.
Horrorizado, ele pega o livro da mão dela.
– Sev, de novo? Devolve o meu livro, por favor…
– Estão escrevendo mais desgraças sobre a minha vida?
– Calma, calma! É uma história super bonitinha dessa vez. – Ela sorri docemente. – Isso pode fazer com que as coisas fiquem agitadas aqui novamente.
– Como se isso fosse me acalmar… – Ele diz seco e devolve o livro para ela.
– Ok, senta aqui, deixa eu te contar então….

A confortável presença de uma mãe

Posted in drabbles, Fanfiction with tags , , , , on 09/05/2016 by Claire

 

 

Aqueles dias em que seu pai viajava a trabalho eram os melhores. Severus e sua mãe desfrutavam da companhia confortável um do outro sentados em silêncio na sala de estar. Ela deu a ele uma caneca de chocolate fumegante e tomava um chá enquanto fazia anotações num livro de poções, coisa que só poderia fazer quando o marido estava fora. Mordia os lábios em atenção, murmurava uma canção e a pena corria as páginas em movimentos ávidos.
Severus apenas observava as mãos ágeis dela, sentia o calor da caneca nas próprias mãos e o aroma doce que subia pelo ar. Ele adorava estar ali com ela e esta sensação cálida parecia paralisar o tempo. Inspirou fundo e sentiu-se contente. A presença dela preenchia a sala e ele sentia o coração expandido.
Enumerou coisas a fazer, como liberar sua mãe das amarras impostas pelo seu pai e ter condições de ser um bruxo tão bom e tão ágil quanto ela. Um dia ele conseguiria, um dia ele seria grande e poderia cuidar de sua mãe e dar todo conforto que ele sentia nestes pequenos momentos. Ela confiava nele e em sua capacidade e ele faria de tudo para alcançar o esperado

– Segunda-feira, depois de muito tempo, a senhorita aparece então…
– Melhor eu do que ninguém não é, mesmo? – Claire começa a espanar as estantes. – Você não tem cuidado disso aqui não, Sev?
– Não fico muito aqui… – Ele disse desinteressado.
– Andando por outros jardins?
– Eu não tenho muito o que fazer quando começam a escrever sobre mim em outros lugares…
– Bom, espero que tenha qualidade pelo menos.
– Devo confessar que sinto falta de vocês às vezes…
– O quê?
– Nada…
– Não não… repete!
– De jeito nenhum!
– Terei que persuadi-lo. – Ela disse jogando o espanador para trás e arregaçando as mangas.
– Gostaria de vê-la tentar… – Ele então sorriu de soslaio.

E ai, vocês vão deixar o Sev passeando no submundo das fics sem betagem? rs
Então pessoal, por hoje é só…

Acabou o Dia das Bruxas

Posted in drabbles with tags , , on 02/11/2015 by Claire

O dia seguinte ao Halloween era um dos melhores dias em Hogwarts. A escola estava silenciosa pela manhã, os elfos já tinham limpado toda parafernália de enfeites e ele agradecia poder tomar seu café da manhã em silêncio na mesa dos professores. Mesmo que aquele fosse o lugar do diretor.

O Halloween só o lembrava da noite em que perdeu tudo e da sua culpa em tudo isso. Não havia redenção ou bebida que lhe fizesse esquecer disso. Então, quando o Halloween terminava ele só podia se sentir aliviado.

Olhou displicente para a mesa dos alunos e, onde Lilly costumava sentar, estava Ginevra Weasley, qual possivelmente iria tomar parte de um novo embate contra o mesmo bruxo que antes quis dominar o mundo mágico. Era injusto. Achou graça, aquele lugar devia ser marcado especialmente para as garotas ruivas que namoram Potters e não Snapes.

Logo, tudo estaria resolvido e saberia disso quanto tivesse notícia que Potter chegaria a escola. Era lá que ele procuraria uma das Horcruxes. Ele mesmo já havia procurado, mas sem sorte. A única certeza que tinha era esta, Hogwarts seria palco da batalha final.

Suspirou lembrando de sua enxaqueca, tomou café, finalmente o Halloween tinha terminado.

– Ora, ora… Que surpresa!
– Surpreso, Sev? Hoje é segunda-feira e eu sempre venho nas segundas-feiras…
– Há muitas segundas-feiras que não vem… Nem no Halloween apareceu.
– Bem, estava muito cheio por aqui, não acha? Você já está recuperado do Halloween?
Ele fez uma cara impaciente e esfregou a ponte do nariz com os dedos.
– Já vi que não muito…
Ela lhe serviu um pouco de chá.
– Beba, Sev, vai te acalmar.
– Acho que invertemos os papéis. – Ele sorriu enviesado. – Antes era eu quem cuidava de você…
– Às vezes é bom que alguém cuide de você também.

Então é isso, meninas, um pouquinho atrasada, mas ainda cuidando do Sev.
Uma drabble de 200 palavras e sem betagem!! (Oh, meu Merlim!)
Beijinhos

E o aniversariante do mês é…

Posted in drabbles, Niver do Snape with tags , , , , , , , on 09/01/2014 by Naara Andrade

HEY! What´s up?

Dando uma espanada neste velho pedaço de metal escurecido, venho até vocês (re)inaugurar este altar dedicado ao nosso Mestre de Poções, nesta data mais que especial. Afinal, é nada mais, nada menos, que o dia em que recebemos o presente do nascimento do Homem-Mais-Corajoso-Em-Quem-Harry-Potter-Já-Desceu-Os-Zóios!

Para homenagear este dia, fizemos algumas drabbles, que continuarão sendo postadas no decorrer dos próximos dias (ou no decorrer do mês, quem sabe). Para começar, um texto feito pela nossa querida Natércia (um doce para quem lembrar quem é esta pessoa 😉

Espero que gostem!

*

Título: Abra os olhos

Autora: Natércia Azarobb (quem será essa?) / Ajudante coadjuvante: Naara Andrade

Palavras: 100

– Olhe… para… mim – Severus sussurrou com dificuldade. Ele encontrou os olhos verdes de Harry, os mesmos de Lily; em seguida, tudo escureceu.

Severus não saberia precisar quanto tempo se passou até constatar que estava novamente com os olhos abertos, contemplando os de Potter. A dor parecia ter se dissipado, embora se sentisse muito enfraquecido. Foi quando conseguiu fixar seu olhar além das pupilas cor de esmeralda que percebeu: o rosto e o corpo que contemplava já não pertenciam a Harry Potter, mas a alguém que já não via há muito tempo.

E Severus Snape não quis fechar os olhos novamente.

Sev & Lily_birthday embrace 2014

Fanart por: Naara Andrade

*

Título: Um dia perfeito

Autora: Natércia Azarobb

Palavras: 100

Ao acordar, na quinta-feira, Severus apreciou que seu aniversário caiu num dia de folga. Não aturar cabeças-ocas seria um presente. Pediria as refeições ali mesmo, nas masmorras. Assim, evitaria formalidades sociais indesejadas.

O dia transcorreu tranquilamente, entre músicas e leituras. Quase ao final da tarde, Severus pensou que, com a companhia certa, seu dia ficaria realmente perfeito.

– Não! Faz muito tempo que elas não aparecem…

Nesse momento, as proteções dos aposentos soaram, anunciando a aproximação de alguém. Ao abrir a porta, um riso mal disfarçado demonstrava que ele, de fato, ficaria satisfeito de comemorar seu aniversário com a companhia certa.

*

Título: Amizade

Autora: Sheyla Lopes

Palavras: 119

– OI. – Tudo bem?

– Tudo.

A menina de olhos verdes e cabelos muito avermelhados não acreditou na resposta desanimada do amigo.

– Sev…

– O quê? – a resposta curta, beirando o aborrecimento.

– Nada, eu só… – ela não conseguiu encará-lo. Reconheceu a tristeza no olhar duro, magoado para um menino de seis anos.

– Não precisa ficar assim, Sev… Olha, trouxe uma coisa para você.

Sorrindo ela pegou um pacote colorido que estava cuidadosamente escondendo atrás de si.

– Feliz Natal, Sev!

Severus Snape não acreditou, e seus jovens olhos perderam a tristeza que os escurecia.

– Lily, mas…

– Achou que eu esqueceria?

– Obrigado, mas… eu…

– Não precisa, Sev. Somos amigos, sempre seremos.

Fim.

*

Título: Bebemorando

Autora: Sheyla Lopes

Palavras: 250

– Isso não vai dar certo, Lily!

– Claro que vai! – ela sorriu. – é só o seu aniversário, precisamos “bebemorar”!

Olhos negros a encaravam irritados.

– Se nos pegarem…

– Não farão tal coisa, somos bruxos, lembra? Podemos aparatar de volta e nos safar dessa facilmente. Agora cala a boca vem comigo!

Ela o segurou firmemente pelo braço, puxando-o pelo pequeno beco escuro onde surgiram ‘do nada’ e seguiram pela rua.

– Oh claro, qual o plano infalível dessa vez?

– Por enquanto não tenho plano, apenas cala a boca e anda.

– Brilhante.

Eles andaram alguns metros até chegarem a um pub certamente mal frequentado.

– Seria mais fácil se transfigurássemos nossos rostos, comprássemos uma garrafa e saíssemos daqui logo!

– Seria mais fácil, mas sem nenhuma emoção.

– Então como faremos? Vamos entrar e pedir uma garrafa de uísque? É um bar trouxa, Lily, mas nem por isso eles são idiotas a ponto de vender bebida alcoólica para nós!

Lily enfiou a mão no bolso de suas vestes e retirou um manto de cor estranha de dentro dele.

– O que é isso?

Sem dizer nada, ela apenas jogou a capa sobre os ombros, desaparecendo sob o tecido aparentemente pesado.

– Uma capa de invisibilidade? Mas como? Onde você conseguiu uma?

– Isso, Mr. Obvio eu respondo depois, entre aqui e vamos pegar alguma coisa para beber. Horas e três quartos de uma garrafa de uísque depois eles, estavam sentados dentro das estufas, rindo e comemorando.

Fim.

*

Severo Snape e o Fim do Mundo

Posted in drabbles, Fanfiction, Visitas ao Snape with tags , , , on 05/11/2012 by Claire

Ela entrou sorrateiramente na sala e ele estava na poltrona de frente para a lareira e por esse motivo não a viu. O Blues soava alto no ambiente e ele tinha uma taça de vinho em mãos.

Tão perfeito. Um momento perfeito. Ele tomou mais um gole e ela ouviu um ruído rouco de sensação prazerosa escapar de sua garganta. Pousou a mão nos braços da poltrona.

– O que te fez entrar aqui sorrateiramente, Granger?

Ela caminhou até ele.

– Estudei o calendário Maia. – Ela disse.

– Ah, não me venha você falar do fim do mundo.

Ele riu baixo, curto e  sarcástico.

– Senhorita Granger-Sabe-Tudo, achei que quando Minerva a chamou para ministrar as minhas aulas de Poções ela tinha ponderado bem as alternativas. Mas se você insistir nesta conversa, vou repensar as minhas opiniões a respeito.

Ele tinha lhe feito um elogio, que nem ele mesmo se deu conta. Ele estava relaxado demais para perceber. Diante disso ela não pode conter um pequeno sorriso.

– Não era bem do fim do mundo que eu iria te falar. Mas o que a notícia dele pode causar.

– Divagações, Granger.

Ela o encarava e se aproximou dele, lhe roubando um pequeno beijo.

– Ou ações, Severo.

– Vocês acreditam mesmo nesse papo de fim do mundo?

– Claro que não, Sev. Ou sim, ou o que for necessário para te dar trabalho.

– Engraçadinha.

– Vai me dizer que você não gosta de quando nós arrumamos um bom motivo para um Fest?

– Confesso que vejo algumas coisas interessantes.

– Então então… Relaxa, senta na sua poltrona e vamos tomar um vinho.

– Você sempre fica soltinha quando toma vinho.

– Não sou só eu, meu caro.

Então é isso, quem queria uma continuação para o post do Bom e Velho Blues, encontrou.

Quem queria um incentivo para começar a escrever para o Fest também encontrou.

Para quem ainda não sabe o que é o Fest e nem como participar entre para o grupo SnapeAlways do yahoo. Ainda dá tempo!

Beijos! Até a próxima!

Claire

Os sons dos grilos

Posted in drabbles, Fanfiction with tags , on 09/09/2012 by Claire

Os sons dos grilos se tornavam mais agudos conforme o tempo passava e ele alisava seu cabelo castanho cacheado enquanto ela dormia sobre seu peito nu. O sono aparentemente tranquilo mudou conforme ela franzia o nariz e fechava o punho em angústia. Era um pesadelo, ele tinha certeza.
Num sobressalto ela acordou, a face rubra e assustada, e ele a segurou firmemente em seus braços.
– Calma, está tudo bem.
Ela levantou o rosto e olhou para ele, tinha uma expressão serena e terna.
– Pesadelo?
Ela se aninhou em seus braços.
– Um sonho onde você não existia e não podia te abraçar.

– Então é assim, sons de grilos.

– É, Sev, eu já não aguentava mais.

– Se você quiser podemos fazer outros barulhos…

– Assanhado.

– Você sempre distorce o que eu falo.

– Ok, vamos aproveitar que estamos sozinhos. ^^

– Você não tem jeito mesmo…

Então é isso meninas, uma drabble pra vocês. Vou aproveitar que só eu e o Sev estamos por aqui ultimamente.

A contagem de palavras foi feita pelo próprio wordpress e não atentei pra saber se eram mesmo 100.

Um beijinho

Claire