Arquivo para junho, 2013

Challenge accepted: fazendo o Snape sorrir

Posted in Eu quero ver o Snape..., Outros with tags , , , on 22/06/2013 by Naara Andrade

Hey, what´s up?

Vocês devem lembrar que, dois posts atrás, a Claire nos incumbiu de uma missão que inicialmente beirava o impossível:
fazer o Snape sorrir.

Depois de uma longa conversa a respeito, muitas ideias bacanas surgiram, desde fazê-lo dar aquele esboço de sorriso irônico que todos conhecemos, passando por verdadeiras gargalhadas às escondidas devido as tentativas frustradas e/ou sem noção de seus alunos em conseguirem tal feito, até  se cogitar a possibilidade de fazê-lo sorrir de uma forma mais pura e sincera.

E foi justamente isso o que achei em uma postagem no “Google +” compartilhada pela Catarina Barboza, que por sua vez viu de outro compartilhamento.

albus severus

Aqui a página da qual a Cat viu e compartilhou: https://plus.google.com/113803210185433884199/posts?cfem=

Infelizmente não sei quem foi o autor da arte. Se você tiver esta informação, por favor nos conte nos comentários. Embora não tenha sido algo feito por mim (como sugeria o desafio =P ), acredito que pelo menos a ideia é válida, e eu não podia deixar de compartilhá-la com vocês.

Acredito que esta seria uma descrição perfeita do encontro entre estes dois. Mais alguém se sentiu tocado com a cena ou fui só eu?

Anúncios

Entrevista de Emprego

Posted in Visitas ao Snape with tags , on 08/06/2013 by Claire

Snape examina cuidadosamente a papelada a sua frente. Muitas informações importantes: Mestrado em Direito Bruxo, Doutorado em Direito Trouxa, Faculdade de História da Humanidade, inúmeras palestras em todo o Reino Unido e Brasil… Mas apenas um item havia chamado sua atenção. Um só.

 

– Muito bem, senhorita. Eu sou o Prof. Severo Snape e fiquei encarregado de realizar as entrevistas para este cargo. Como a senhorita já sabe, Hogwarts necessita de um advogado que tenha trânsito livre no mundo bruxo e trouxa. Porque escolheu atuar nos dois mundos?

 

– Bom dia, Prof. Snape. – disse a moça sorrindo – Durante a universidade percebi que determinadas ocorrências mundo trouxa só se dão devido à nossa intervenção. Por isso, para efeitos comparativos e, futuramente, cautelares atuo no dois mundos. Atualmente realizo um estudo com outros dois bruxos, acredito que o senhor já os entrevistou.

 

– Sim, o Sr. Hechnner e Brenner. – Snape olhou-a atentamente, mais uma vez. Aquele detalhe ainda não saía de sua cabeça – Ontem à noite as corujas foram dispersadas e nos supreendeu que logo hoje pela manhã já houvessem três candidatos. Só posso supor que alguém lhe fez uma indicação.

 

Não era uma pergunta.

 

– Corretíssima suposição, Professor.

 

– Quem, foi?

 

– Minha amiga, Claire. Acredito que o senhor a conheça. – um brilho malicioso tomou conta dos olhos castanhos da moça.

 

Uma sensação de déjà vu, tomou conta de Snape. Sempre que uma amiga de Claire aparecia, algo estranho acontecia. Era melhor encerrar a entrevista por ali e dizer que entraria em contato, antes que algo pior sucedesse.

 

– Perdoe-me senhorita, esqueci seu nome. – mentiu.

 

A moça deu uma piscadela.

 

– Selene. Selene Black-Snape.

 

Snape passou o indicador entre os olhos. Não era apenas um pressentimento, certo?

 

– Quanta desgra…

 

– OLHA A PELADA!

 

O gritinho agudo da moça impediu até mesmo o próprio Snape de escutar o resto da palavra que ia dizendo, parando o fluxo para procurar a tal da pelada. Não encontrando, continuou:

 

– … num só nome. Eu não entendo como vocês se apropriam do meu nome dessa forma, sem nem mesmo pertencer à minha família ou ter nascido em Snape, ou… –  a possibilidade de matrimônio passou por sua mente, mas  ficou entalada na garganta.

 

A moça olhava para ele contrariada, mas séria.

 

– Poupe suas palavras, mestre. – disse a moça de uma forma bastante entonada enquanto levantava a mão direita de forma dramática.

 

Snape estreitou os olhos.

 

– Muito simples: eu entrei com um pedido de retificação de registro civil, pedindo a inclusão do sobrenome Snape, devido à estreita e forte ligação que nossas famílias possuem.

 

Snape formou a expressão “O quê?”, mas ela não chegou a sair de sua boca.

 

– Lógico que no início houve um certo caos, e o juiz ficou um pouco abismado, e fez uma cara de… essa cara mesmo que você está fazendo! – apontou para ele.

 

Snape estava boquiaberto, uma de suas sombrancelhas estava levantadas, como se prevesse que houvesse coisa pior pela frente. E veio.

 

– Mas aí eu apresentei o famoso exame de DNA, e provei que o malévolo Tio Jude, lembra dele?, é meu papis! Que emoção Sev! Nós somos primos de segundo grau!

 

Uma breve festinha seguiu-se após a informação cataclítica, com Selene dizendo “huh-huh!” e “bãodimaisdaconta”. Assim que a criatura reassossegou-se, Sev, novamente estava novamente com a sombrancelha arqueada.

 

– Tio Jude Snape?- perguntou Snape, com voz glacial.

 

– “Seu” tio, meu papis. – corrigiu Selene.

 

– Tio Jude morreu há cinquenta anos! Quantos anos você tem? Vinte e cinco? Ah, por favor, poupe-me dessas asneiras! – disse , batendo na mesa.

 

– Não importa, Sev, não mais. Está tudo consumado. – disse Selene teatralmente.

 

Snape levanta-se de sopetão.

 

– Vou ter uma conversa séria com Dumbledore. Você não pode fazer isso!

 

– Posso sim! Sou advogada.

 

Snape lhe lança seu olhar mortal.

 

– Posso… não? – pergunta com o olhar duvidoso – Mas e aí? Estou contratada? Imagine nós dois juntos aqui em Hogwarts! Você corrigindo redações ali e eu analisando alguns processos aqui…

 

O Mestre das Poções abre a porta com violência, ganhando os corredores das masmorras, sua capa farfalhando atrás de si.

 

– Ai, meu Merlin, me abana. – disse Selene – Que charme!

 

E essa foi a Selen tentando fazer o mestre sorrir. É claro que isso poderia acontecer citando o meu nominho, Claire, mas ele não é tão fácil assim quando se fala o nome Black. Bom, talvez com um pouco mais de persuasão heheh

Tente mais vezes, Selen!!

Um beijão

Canções – Especial Johnny Cash

Posted in Canções with tags , , , , , on 04/06/2013 by Naara Andrade

*Abre a porta, espia. Entra limpando a poeira e as teias de aranha*

Olá pessoal, what´s up?

Bom, hoje eu estava prestando atenção em uma playlist que já ouço há um certo tempo e finalmente me dei conta do conteúdo significativo da canção Hurt, de Johnny Cash ou o “Homem de Preto” como era conhecido (coincidências até aqui…), para o tema em questão.

A canção inteira tem um toque bastante melodioso e sofrido, sendo praticamente parte de uma autobiografia. Pelas minhas pesquisas, foi uma reinterpretação da música originalmente gravada por Nine Inches Nails. Na versão de Cash, temos uma música com tom e voz pesados, embora limpos, passando com louvor toda uma carga de sofrimento. Enfim, é daquele tipo de música capaz de criar uma sensação de calafrio crescente.

Deixando as explicações sobre a história da música de lado e indo ao ponto deste blog, eu não pude deixar de notar a relação que podemos fazer com a vida de Severus.  Trechos como:

I hurt myself today / To see if I still feel / I focus on the pain / The only thing that’s real

(Hoje feri a mim mesmo / Para ver se ainda sinto / Eu foco na dor / A única coisa que é real)

Não nos remete a como Snape talvez nunca tenha sido capaz de perdoar a si mesmo, lembrando e relembrando dos erros que cometeu no passado? Para mim isto fica claro com todas as tentativas de redenção que ele tomou desde então).

E o que dizer do trecho abaixo:

“What have I become? / My sweetest friend / Everyone I know goes away / In the end”

(O que eu me tornei? / Minha mais doce amiga / Todos que eu conheço vão embora / No fim)

Achei interessantíssimo o “my sweetest friend”. Neste caso, de quem mais se trataria, senão daquela por quem ele sofreu até o fim? E com o último trecho também podemos explorar o que houve na vida fatídica do Mestre de Poções, pois todos aqueles que ele poderia ter chamado de “amigo” se foram, deixando-o sozinho com seus fardos.

Agora, creio que seja o momento de deixá-los a sós com a letra da canção, para que teçam as suas próprias conjecturas a respeito. Para ouví-la enquanto lê, clique aqui.

Então, o que acham, há cabimento?

Continue lendo

Missão para as Snapetes

Posted in Visitas ao Snape with tags on 03/06/2013 by Claire

– Bom dia!

– Você?

– Sim, Sev, qual a surpresa? Hoje é segunda-feira, dia que eu passo por aqui para tirar o pó. – Claire pega o espanador e começa a trabalhar nas prateleiras.

– A surpresa é que ando tendo poucas visitas ultimamente, principalmente da senhorita.

– Ué, você sempre reclamava que era uma pessoa, bem… ocupada.

– Acontece que ultimamente tudo por aqui está meio… solitário.

– Ah, Sev, fica assim não. Cadê aquele sorriso bonito?

– Ih, vamos ter que trabalhar nisso. Mas acho que vou precisar de ajuda. Onde estarão as outras Snapetes?

Claire conjura o Patrono e passa o seguinte recado: “A todas as Snapetes que encontrar temos uma urgente missão, fazer o Sev sorrir. Comparecer com urgência a masmorra!”

– Pronto, Sev, logo logo você terá novos problemas.

Meninas, agora é com a gente!