Arquivo para abril, 2012

Sessão Codorna

Posted in $ Codornas $, Fanarts, Snapeando with tags , , , on 26/04/2012 by Shey

Olá Meninas, como têm passado?
Sentiram saudades? Eu também!
Nossa última sessão trouxe um colorido muito peculiar nas fanarts, aliás, eu notei que eu chamei atenção para isso praticamente em todas as sessões desde nossa estréia aqui. Então, eu fiquei imaginando… o que trazer de novo para a próxima Sessão Codorna no Caldeirão? Bem, não é realmente algo novo, mas pensei; porque não fazer o oposto? Uma Sessão Codorna totalmente Noir! O que acham? Vamos esquecer um pouco das cores e efeitos de computador e prestar mais atenção na pura arte do desenho, e claro, no Sev?

Então… Siga-me se você for maior de idade, porque esta é uma sessão para maiores de 18anos! Apontem suas varinhas para o link abaixo e digam as palavras mágicas!

Malfeito Feito!!!!!

Anúncios

Sugestões musicais – Parte I

Posted in Canções with tags , , , on 25/04/2012 by Naara Andrade

Olá pessoal, como têm passado?

Continuando com os posts musicais, hoje eu trago uma sugestão que a leitora “Conte” nos deixou nos comentários.

Ela contribuiu com a música “Minha estranha loucura” da Alcione, e a letra vocês poderão conferir mais abaixo.

O que eu achei interessante na letra foi que inicialmente, eu a vi sob o ponto de vista da Lily. Talvez pelo fato de a voz ser feminina, eu tenha visto com mais facilidade os aspectos pela visão dela.

Mas dá para se ter uma surpresa olhando-a com mais cuidado =D

Enfim, agora deixo com vocês a letra para proveitosas análises.

Minha estranha loucura

Feliz Páscoa!

Posted in Eu quero ver o Snape..., Fanarts with tags , , on 08/04/2012 by Claire

~~ Pyon! Pyon! Pyon! ~~

— O que é isso, Senhorita?

— Onomatopéia!! Barulho de coelho.

— Er… ok. Mas o que significa?

— É Páscoa!! Uma época cheia de significados, mas para as Snapetes tem também um outro significado… Significa você, muso, vestido de coelho. ^^’

— Não se atreva — ele responde transtornado entortando os lábios.

—Claro que não — ela responde disfarçando. — E com vocês o desfile mais fofo do ano! Sev de coelhinho da Páscoa!

Easter Snape by ~Bow- on deviantART

— Hey, Sev, que pompom é esse?

— Alguém já te disse que você é muito cara de pau?

— Claro que já, a Nanda me disse que sou gaiata. Mas, calma, ainda tem mais!

— O quê?!!


Easter Snape 2 by Perselus by ~severus-hermione on deviantART

— Ah, Sev! Até a Sabe-Tudo-Granger tirando casquinha do seu Pompom! Não pode isso não!

— Eu desisto!

— Desiste não… Vem aqui, deixa eu dar uma olhadinha nessa fantasia.

=)

Feliz Páscoa!!!!

Eu quero ver o Snape…

Posted in Eu quero ver o Snape..., Visitas ao Snape with tags , , on 08/04/2012 by ferporcel

…aproveitando a páscoa!

É isso mesmo! Eu quero ver o Sev aproveitando e muito a páscoa, seja como for! Isso significa que vou ficar aqui esperando vocês deixarem comentários com fotos, links, drabbles, artes, poemas, tiradinhas sarcásticas, comentários pessoais, fofocas, artigos jornalísticos (confiáveis ou não),… Vocês entenderam o espírito da coisa. Vale tudo para eu ver o Sev mandando ver nesta páscoa!

— O que diabos significa isso?

— Já que você não colabora com as festividades, estou apelando para as Snapetes.

— Se você acha que isso vai me fazer colocar aquelas orelhas brancas, você esta delirando.

*Fer bate com a mão no lugar vazio no sofá*

— Senta aqui e espera comigo, então.

*Sev a olha com desprezo e sai da sala*

— Será que é para rir?

Sev Dodói

Posted in drabbles, Fanfiction with tags , , , , , , , , , , , , , on 01/04/2012 by ferporcel

Madrugada dessas nós ficamos sabendo que o Sev estava adoentado, tadinho. Para tentar dar uma força para ele se recuperar, resolvemos relembrar em drabbles alguns momentos em que ele foi bem cuidado por tantas pessoas que o adoram.

Mas antes de seguirmos com as drabbles, quero deixar bem claro que nenhuma das autoras aqui é a J. K. Rowling ou pensa que tem algum direito sobre Harry Potter ou qualquer outro personagem de sua saga.

Agora sim, vamos cuidar do Sev…

*

Título: Gripe?
Autora: Naara Andrade
Palavras:
100

Naquela fatídica – ou não, segundo a maioria esmagadora dos alunos – tarde, Severo Snape não apareceu para ministrar suas aulas. O aviso foi dado sem demora pelo professor substituto, mas o que eles não sabiam, e que se desenrolava naquele exato momento vários metros abaixo, encravado nas rochas que sustentavam Hogwarts, era que seu professor espirrava. Freneticamente. Cada espirro fazia uma parte da pele do rosto inchar e culminar em uma bolha amarelada.

— Malditos… ah…ahh…ATCHIM! Weasleys!

Sua recém-assistente o observava esquivar-se do pano embebido em água morna, em silêncio, cheia de compaixão pelo seu antigo e sempre carrancudo professor.

*

Título: Resiliência
Autora:
FerPorcel
Palavras:
100

Severo arfou, segurando um gemido ao descer o corpo castigado no banho batizado com poções que preparava até em sonho. Para Severo, a maravilha do corpo físico perdera o encanto, substituído pelo cansaço e irritação com sua resistente insistência em não sucumbir.

Abriu os olhos ao sentir um peso na testa, esperando ver o rosto da única pessoa que parecia se encantar com sua resiliência. Pronta para dar vazão a toda frustração e dor, a boca de Severo parou, aberta, ao ver olhos que nunca imaginara que o olhariam daquela forma.

— Relaxe — Srta. Granger pediu —, eu cuido de você.

*

Título: O Melhor Remédio
Autora:
Claire D’Lune
Palavras:
200

Eileen escuta batidas à porta. Cansada do trabalho diário, do marido e preocupada com o filho doente, ela espreita por uma pequena fresta e vê a pequena menina de cabelos ruivos.

— Severo está doente, menina. Por favor, vá embora.

— Eu sei, senhora. Pode, por favor, entregar isto a ele?

A menina empurra um pequeno embrulho pela porta que Eileen recebe agradecida por ela não insistir em entrar.

Ela caminha até o quarto e vê o filho febril, deitado na cama, fitando a janela.

— Olhe o que aquela menina ruiva lhe trouxe.

Ela entrega o presente, e ele, mesmo abatido, sorri para ela.

— Obrigado, mamãe. — Ela se sente aquecida pela felicidade dele enquanto ele rasga o pacote, então ela vê várias folhas que estavam dentro.

Ele mexe nas folhas e seu olhos brilham quando entende o que aquilo significa, mas a deixa intrigada.

— Mas, o que é isso?

— São folhas do lago, mamãe, eu e Lilly íamos lá hoje e eu acho que como não pude ir, ela trouxe parte do lago até mim. — Ele continuou feliz e algumas folhas voaram pelo quarto.

Naquela tarde, o riso e o amor preencheram a casa.

*

Título: Chá de Gengibre
Autora:
Shey Snape
Palavras:
100

Ruídos denunciavam alguém na casa. Adrenalina nas veias arrepiou o corpo quente, apesar do tempo gelado. Varinha em punho, passos silenciados pelo feitiço. À frente, som de água, metal e irritação elucidou o mistério. Resignado, entrou na cozinha.

— O que você pensa…

— …onde diabos está o mel e o gengibre?

— Mãe… — suspirou. — Segunda porta à direita.

— Obrigada. Agora suba, pare de andar descalço?!

Calor da mão no rosto só não antecipou o cheiro do gengibre e canela.

— Você está ardendo!

— Estou bem.

— Está rouco!

— Mãe!…

— Cale-se, tome seu chá.

*

Título: Flores II
Autora:
Shey Snape
Palavras:
100

Traição. Sangue. Abandono. Eram odores que impregnavam aquele ambiente empoeirado e envelhecido.

Passos rangiam o assoalho da Casa dos Gritos, trazendo consigo algo novo, delicado. Flores.

O fio de vida que sustentava Severo Snape, sentiu esperança naquele aroma, e no calor da mão em seu cabelo.

Tentou falar.

— Agora não. Depois.

Não ouviu feitiços. Poções amargas escorregaram garganta abaixo antes dele acordar.

Novos aromas, um em especial fez seu estomago retorcer, ansioso.

— Está com fome? — Ela sorria.

— Papoula, eu…

— Não há nada o que dizer. Você nos salvou. Agora coma.

— Mas… Por quê?…

— Você… Dumbledore. Tinha que haver um plano.

*

Título: Sem título
Autora:
Marina Snape
Palavras:
100

Por vezes, o algoz toma formas inesperadas e se traveste de um doce anjo. Calor, corpo dolorido, o ar faltando, a consciência falhando. Exaurido, fechou os olhos para resistir melhor. O maxilar fortemente fechado rangia. Jamais o fariam abrir a boca. Todos os anos como espião lhe valeriam para alguma coisa. Uma gota de suor cortou a fronte, dependurando-se no nariz. Lutaria até a morte. O tom da inquisidora alterou-se.

— Severo Snape! — Se o nome era completo, a coisa estava feia para ele. — É só uma poção para gripe, deixa de criancice e abre a boca?

*

Título: Garota Infernal
Autora:
Magalud
Palavras:
120

Severo Snape, boticário famoso, professor aposentado de Hogwarts, queria vociferar vitupérios aos quatro ventos e garantir a qualquer alma capaz de escutar e sobreviver a seus insultos que estava bem, que só precisava de descanso e paz. Mas a garota infernal estava atrás dele de instante em instante, sem descanso, oferecendo beberagens que ele sabia serem absolutamente ineficazes.

Mas dizer isso àqueles olhos azuis tão cheios de ternura e sabedoria? Como ferir aquela alma sensível e delicada?

E lá vinha ela de novo, com outra sopinha.

— Você precisa se fortalecer. Nunca é boa ideia menosprezar uma infestação de traquizinos.

Luna sorria e Severo esquecia toda a irritação e o gosto repugnante da sopa preparada com tanto carinho por sua esposa.

*

Título: Excesso
Autora:
Clau Snape
Palavras:
100

O suor gotejava sobre o rosto pálido. Ele tentava a todo custo manter-se de pé.

A poção que a bruxa à sua frente lhe forçava a tomar queimava feito fel, e ele não sabia o que era pior.

Ouviu a voz dela ralhando como se tivesse seis anos de idade.

— Espero que isso lhe sirva de lição! Onde já se viu um homem da sua idade chegar a esse ponto.

— Mas… eu…

— Nada de mas, outra carraspana dessas e o senhor vai dormir no sofá, entendeu?

Assentiu por saber que era voto vencido.

 — Está bem, Hermione.

*

Título: Pergaminhos e Enxaqueca
Autora: Catarina Barbosa — debutando no Caldeirão! \o/
Palavras: 100

A cabeça latejava. Por que pedira dois metros de pergaminho àqueles cabeças-ocas? Invariavelmente, dois metros de imbecilidades que lhe causavam pontadas agudas nas têmporas. Em compensação, cada pergaminho corrigido o aproximava mais do texto pelo qual tanto esperava, que compensaria todas as baboseiras lidas até então e que seria, misteriosamente, um bálsamo para sua dor. Sim, o texto da Irritante-Sabe-Tudo grifinória sutilmente diminuía a enxaqueca do Mestre de Poções, provocada por horas de trabalho. O que Severo Snape não sabia era que Hermione Granger enfeitiçava os próprios pergaminhos com substâncias calmantes e analgésicas, para amenizar o sofrimento de seu professor.