Arquivo para março, 2012

Seminal não acabou

Posted in Fanficando, Fanfiction, Snapeando with tags , , , on 25/03/2012 by magalud

Não, não acabou! Ouçam minha risada maligna. Ainda refletiremos sobre o caráter de Severus Snape. Considerem uma prévia do livro de Rita Skeeter: “Severus Snape: Saint or Scoundrel?”

Por 6,8 livros e 7,6 filmes, Severus Snape era considerado um vilão. Byronianos fazem parte de uma espécie particular de anti-herói ou herói trágico. Lembre-se que o anti-herói não possui vocação heroica e realiza a justiça por motivos egoístas, pessoais, vingança, vaidade, por matar ou por quaisquer motivos que não sejam altruístas, ou seja, é o antônimo da ideia que se tem de herói. É diferente do herói trágico porque herói tem motivação altruística, e, quando falha, é apenas por erro de julgamento, nunca por vício e depravação. Isso é coisa de vilão. Herói é nobre. Superman é o herói mais típico.

Mas nem todos os nossos personagens são tão característicos como o Homem de Krypton. O Homem Mais Corajoso que Harry Potter Conheceu não é preto nem branco, mas o que não falta são tons de cinza, certo? Então vamos nos referir apenas a personagens trágicos. Continue lendo

Anúncios

Uma viagem musical

Posted in Canções, Visitas ao Snape with tags , , , , on 20/03/2012 by Naara Andrade

Olá pessoal, tudo beleza?

Hoje eu venho até vocês para iniciar uma seção novinha em folha, cujo título, bastante sugestivo: “canções”.
Não, infelizmente, nosso amado mestre não nos dará a alegria de ouvi-lo cantarolar. O que tentarei mostrar aqui é uma espécie de viagem musical através de vários ritmos, que possam nos lembrar de partes da vida e características do Mestre de Poções.

Por exemplo, já perceberam que certo trecho da sua música favorita pode, de repente, se apresentar sob outro ponto de vista? Certo dia eu estava prestando atenção em um trecho de Last Kiss do Pearl Jam, e pude sentir a parte mais triste da vida de Severus Snape expressa naquelas palavras. Será que vocês concordarão com esta que vos escreve? Vejam o trecho citado da letra original (extraída do http://letras.terra.com.br/pearl-jam/30320/traducao.html) seguida da tradução  e tirem suas próprias conclusões:

Last Kiss – Pearl Jam
“…Oh where, oh where can my baby be?
The Lord took her away from me.
She’s gone to heaven, so I’ve got to be good,
So I can see my baby when I leave this world.
(…)
When I woke up, the rain was pourin down.
There were people standin all around.
Somethin warm flowin through my eyes,
but somehow I found my baby that night.
I lifted her head, she looked at me and said,
“Hold me darlin just a little while.”
I held her close, I kissed her–our last kiss.
I’d found the love that I knew I had missed.
Well now she’s gone, even though I hold her tight.
I lost my love, my life– that night…”

————***————

Último Beijo – Pearl Jam
“…Oh, onde, onde estará o meu amor?
O senhor tirou-a de mim
Ela foi para o céu, então eu tenho de ser bom
Assim, verei meu amor quando deixar este mundo.
(…)
Quando acordei, a chuva caía
Havia muita gente em volta
Algo quente escorreu pelos meus olhos
Mas, de alguma forma, eu encontrei meu amor naquela noite
Eu levantei sua cabeça, ela me olhou e disse:
“Me abrace, querido, só por um pouco”
Eu a abracei forte e a beijei – nosso último beijo
Eu encontrei o amor que eu sabia que havia perdido
Bem, agora ela se foi, mesmo eu tendo abraçado-a com força
Eu perdi meu amor, minha vida, naquela noite…”

Excetuando-se algumas partes, foi como se eu estivesse visualizando toda a cena em Godric’s Hollow; um Severus em frangalhos debruçando-se sobre o corpo sem vida de sua amada. As divagações iniciais também lembram em muito o seu estado de espírito posterior a este fatídico acontecimento. Afinal, ele foi ou não “bom” ao aceitar as difíceis missões que lhe foram impostas, incluindo aí a missão-mor de proteger o filho dela? Estava ou não o nosso mestre em busca de redenção, para, quem sabe, um dia poder vê-la novamente?

E vocês, o que acham? Realmente encaixa? Forçado demais?
Eu aceito sugestões para o próximo post!

– Como você pôde? Isto é pessoal. Muito pessoal – retorquiu Snape
– Calma, Severus… eu não falei nada que nós, suas fãs e defensoras, já não saibamos…

Seminal 3: vamos ser práticos?

Posted in Fanficando, Snapeando with tags , , , on 18/03/2012 by magalud

Snape supervisiona alunos

Prometi semana passada uma checklist sobre as características de herói byroniano. Desta forma, você nunca mais vai se confundir quando estiver diante de um herói sofredor. Percebam que ele é um herói, ainda que às avessas.

Vamos ver juntas se Severus Snape mantém a tradição desse tipo de personagem. Oh, se alguém se interessou, pode pesquisar mais na infame e controversa Wikipedia. Não é fonte oficial de informação, pois não sei de quem copiaram, mas que é interessante, isso é. Continue lendo

Seminal 2

Posted in Snapeando with tags , , on 11/03/2012 by magalud

Nem eu acredito, mas é a continuação de um post chamado Seminal 1, que tem mais de um ano. Sim, isso mesmo. E vou continuar o assunto: o enigma de Snape à luz de Byron. E de onde vem o título “Seminal”? Bom, quem foi ao dicionário deve ter verificado que a palavra seminal vem de sêmen ou semente, e quer dizer “aquilo que deve ser semeado”. Por metáfora, segundo o “Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa”, seminal é usado para descrever tudo aquilo estimula novas criações, que traz novas ideias, gerador de novas obras; inspirador. Assim, tipo um Sev.

O que nos leva de volta ao assunto principal do blog. Na última vez que mencionei o assunto, ao tentar desvendar o enigma snapeano e seu apelo quase irresistível, abordei as origens do herói byroniano antes mesmo de Byron. Retomemos, pois, o assunto tão fascinante de Severus Snape na literatura e por que ele atrai tanto.

Um estudioso dos heróis byronianos, Peter Thorslev Jr, fez um livro em 1962, considerado um divisor de águas sobre o assunto. Para nós, o que interessa é a definição dele do vilão gótico-byroniano arquetípico: “Um ar de mistério e enigma é o seu traço dominante, característico de seus atos. Frequentemente, esse ar é agravado pela aura de segredos pecaminosos (ui) de seu passado”.

Obviamente, a atração exercida pelos byronianos como Heathcliff de “O Morro dos Ventos Uivantes” e Rochester de “Jane Eyre” se concentra no dano emocional e psíquico que eles carregam, além, claro, do mistério que eles exercem e do enigma que eles colocam ao mundo. Não só carregam o mistério, eles mesmos são um mistério que atrai mulheres, esses seres curiosos.

Sim, eles são bad boys. Na verdade, eles são os bad boys originais. A atração está no apelo de intensidade sexual, de dominação, paixões proibidas, energia, vigor, emoções à flor da pele. Ao se depararem com o personagem, as fãs suspiram e querem ter esperança. A esperança é que ele não é uma pessoa má ou ruim, só é o mundo que não o entende. Ou ninguém lhe deu uma chance. Ou, se ele errou, não é perfeito, mas não é má pessoa. Ele pode ser salvo com um pouco de amor. E não faltam, obviamente, voluntárias para domesticar a paixão e a rebeldia desses bad boys com puro amor. Ah, o amor é lindo. Voledmort diria: “A solução favorita de Dumbledore”. Aliás, ele disse.

Fãs mais jovens enxergam exatamente essa situação em Draco Malfoy. “Ele é um bom garoto, lindo, rico e só precisa de amor”, dizem. Ahahahah! Rowling fez bem em tentar tirá-las da ilusão. Afinal, num universo em que “suas atitudes, não suas qualidades, definem quem você é”, Draco foi incapaz de ter um ato heroico e digno. Mas nem unzinho, Draco?

Nope, nada. Que pena… Nenhum Malfoy é um caso byroniano.

Pretendo continuar com este assunto. Se acharem chato, é só avisar. Tenho mais umas duas colunas engatilhadas.

Na próxima coluna: checklists sobre as características do herói byroniano

Sessão Codorna – Especial DIA INTERNACIONAL DA MULHER!

Posted in $ Codornas $, Fanarts with tags , , on 09/03/2012 by Shey

Olá meninas!
Opa, meninas e Mulheres! Afinal, ontem foi nosso dia. Dia Internacional da Mulher e estamos todas de parabéns!

Então, fica a pergunta: Como poderemos comemorar uma data tão importante?
A resposta, minhas amadas, é mais simples e clara do que veritasserum! O que vocês acham de uma Sessão extra da Sessão Codorna? Heim? Heim? heim?

*ouve os gritos e aplausos*

Foi o que pensei! Suas assanhadas!
Sendo assim, vamos começar com aquelas pessoinhas que normalmente não podem ver a nossa sessão, mas, também são homenageadas hoje!

BHAE – The Same But So Different by ~ArcticFidelity

Nada como uma Codornisse leve para começar, certo? Mas a partir de agora a coisa fica mais séria, então… Os avisos de sempre estão de volta, ok? A Sessão é apenas para maiores de 18 anos e se você tem problemas de saúde, não nos responsabilizamos por quaisquer danos causados! Assim, tirem os cardiacos da sala, porque é dia da mulher e Sev nos espera! Weee!!

Continue lendo