Arquivo para fevereiro, 2012

A coleção engarrafada

Posted in Colecionáveis, Visitas ao Snape with tags , , , on 29/02/2012 by Naara Andrade

Olá mais uma vez!

Hoje eu tinha outros planos para esta postagem, mas vendo um compartilhamento da Tex Viana, achei bacana deixar registrado por aqui.

Trata-se de uma loja no Etsy (www.etsy.com), onde pessoas de várias partes do mundo podem vender coisas que elas produzem manualmente. Neste caso em específico, a Tex achou esta loja que, além de outras coisas relacionadas ao mundo potteriano, vende uma (linda *___*) coleção de poções engarrafadas do nosso mestre.
Dei uma boa olhada no estoque da vendedora no que diz respeito a coisinhas do Sev, e aparentemente todas as poções e vários dos igredientes mencionados no livro podem ser encontrados por lá, como as pedras Bezoar e a poção Amortentia.
São recipientes com vários formatos e cores, e as etiquetas estão bem condizentes com o ambiente do laboratório das masmorras. Uma verdadeira pena eu estar lisinha da silva…

Abaixo, alguns exemplares. Reparem na beleza e delicadeza dos vidrinhos.


Aqui vai o link da mencionada seção: http://www.etsy.com/shop/DiagonAlley?section_id=10059893

E então, o que vocês achariam de ter um laboratório particular de poções?

– Não me recordo de ter feito um estoque inteiro para esta loja…

O som de assobios desinteressados preencheu o local.

– Não sei não… você andou verificando o seu acervo particular esses dias?

Anúncios

Rabiscos do Encontrão – Parte 1

Posted in Fanarts with tags , on 25/02/2012 by ferporcel

Olá!

Nem só de fanfics coletivas vive um Encontrão™ de Snapetes. Também tivemos tempo para rabiscar algumas fanarts do Sev. 😛

A Shey tem mais, mas só semana que vem.

Fic Coletiva: Onda de Calor

Posted in Fanfiction with tags , , , , , on 22/02/2012 by ferporcel

Onda de Calor

by Snapetes

Resumo: Uma onda de calor assola Hogwarts. Quem perde com isso? SS/HG

N/A: Esta fic foi escrita coletivamente entre 19 e 21 de fevereiro de 2012 durante o encontrão de carnaval em Florianópolis pelas Snapetes: Claire, FerPorcel, Magalud, Marina Snape, Shey Snape e Clau Snape.

-oO0~O~0Oo-

O dia estava anormalmente quente para aquela época do ano, as pessoas do castelo estavam preocupadas procurando os motivos para aquele clima e outros procuravam meios para se refrescar. Enquanto isso…

Severo Snape passava a passos largos pelos corredores em suas vestes negras habituais, como se o clima não o afetasse.

Corredor após corredor, ele andou a procura de algo, mesmo sabendo que o aparente silêncio não era normal para aquele horário.

De um corredor lateral, um murmúrio se ouviu. O som abafado era um misto de gemido e sussurro. O que estava acontecendo ali?

O insuflar das vestes denunciou a brusca mudança de direção, e, a passos largos, o mestre rumou de encontro ao ruído.

“Miseráveis alunos! Não vou permitir que este calor todo seja motivo para sair de seus quartos.”

A simples aparição do homem em suas vestes tradicionais causou no grupo de estudantes um efeito bombástico. Acuados ante a possibilidade de ter de enfrentar o ácido professor, os alunos não sabiam se retornavam para a sala comunal ou se corriam em várias direções na tentativa de se livrar do flagrante.

Apenas uma aluna ficou. Severo estreitou os olhos e perguntou:

— Fora da sala comunal, Srta. Granger?

— Lá está muito quente, professor.

— Feitiços refrescantes não lhe são desconhecidos, tenho certeza. Temperatura alta não é desculpa para vadiar pelos corredores.

Hermione Granger procurou esconder a camisa branca de Hogwarts empapada de suor, transparente com o líquido que deixava o tecido agarrado à sua pele e denunciando suas formas. Em intenção velada, ela baixou o olhar, com uma expressão marota:

— Desculpe, professor. Vai me dar detenção?

Snape estava a ponto de despejar a língua ferina numa resposta ácida quando foi interrompido pelo suave movimento da moça ao tentar desviar a atenção do sisudo Mestre de Poções sobre seu estado desmazelado. Por mais que ele tentasse, não conseguia desviar o olhar do corpo suado, das formas arredondadas, da temperatura alta que finalmente parecia afetá-lo. As palavras morreram em sua garganta, que repentinamente ficou seca.

A moça ergueu os olhos castanhos inquisidores e franziu o cenho levemente antes de indagar:

— Professor Snape?

Ele tentou manter-se inerte e vestir a armadura fria que costumava utilizar. Passou um dedo pela própria gola, como se esta estivesse apertada e engoliu em seco. Ele afiou novamente o olhar e rebateu:

— Srta. Granger, qual o motivo deste rebuliço? Por que vocês estavam aqui nesta parte do castelo?

— As masmorras costumam ser a parte mais fria da escola.

Ela respondeu, de forma tão simples que ficou óbvio para ele que teria que ser mais firme com ela. Deu um passo em sua direção, ficando mais próximo. Era verdade que as masmorras eram mais frias, mas era verdade também que esta afirmação não se aplicava aquele momento.

— Caso não tenha notado, Srta. Granger, eu sei muito bem disso. Mas seu muito bem que vocês, grifinórios, não viriam para este lado do castelo.

Ele parou de falar e a encarou.

— Eu só estava procurando um motivo para esta temperatura. É algo anormal, não acha?

Que criatura era aquela, que levava sua curiosidade acima do temor que ele submetia?

— Eu…

A expectativa de uma explicação morreu ali, quando os olhos da jovem perderam o foco e seu corpo começou a cambalear.

Severo, num impulso impensado, foi de encontro a ela e a segurou antes que caísse no chão duro do castelo.

— Srta. Granger. — Nada. — Granger!

A grifinória estava desacordada.

“Inferno,” pensou Severo, ajeitando o peso extra em seus braços. Não que a moça fosse pesada, mas tudo fora repentino, e ele pretendia sair da embaraçosa situação o quanto antes.

Afinal, se uma coisa era motivo de orgulho do Mestre de Poções era seu autocontrole. Isso o mantinha vivo em frente ao Lorde das Trevas e isso o mantinha são diante dos cabeça-ocas mais conhecidos como alunos de Hogwarts.

Então, como aquela grifinória de cabelos rebeldes e grandes olhos castanhos ousava perturbar uma de suas maiores e únicas fontes de conforto? Como ousava mexer com ele a tal ponto que o deixava ainda mais elevada que o calor exagerado do ambiente? Que baixaria era aquela?

Na verdade, Severo estava tão perturbado que nem se dera conta da presente imagem que apresentava: parado nas masmorras, perdido em seus pensamentos, incapaz de tomar uma decisão, e com uma aluna desacordada em seus braços. Por sorte, ninguém o vira ainda, mas era óbvio que ele estava em posição comprometedora.

Se alguém o visse, ele teria que dar explicações bem embaraçosas ou incômodas a dar não só ao Diretor Dumbledore, mas também ao Conselho de Governadores da escola.

Como se livrar dessa batata quente tão literal nas mãos?

O nível da perturbação era tamanho que só então Severo se deu conta de que estava em seu território, seu santuário, o reino do qual ele era senhor absoluto: as masmorras. Não havia tempo a perder.

Depois de três ou quatro corredores bem escolhidos, Severo estava em seus aposentos particulares. Sua intenção era cuidar da moça de maneira rápida, discreta e satisfatória.

Uma dúzia de opções passou por sua cabeça, formando sinapses interessantes. “Pare com isso, Severo,” repreendeu-se mentalmente. “Certas situações podem parecer convidativas, mas não valem o custo-benefício.”Ao depositar a Srta. Granger em sua própria cama, porém, suas próprias palavras pareceram esvair-se por entre as pedras do aposento.

A moça ainda tinha a roupa colada ao corpo, a feição pálida, a respiração rápida e insuficiente. Infelizmente, os pensamentos de Severo Snape em relação a Hermione Granger, não pela primeira vez, iam em direção oposta à saúde da moça. Desta vez, traiçoeiros, os pensamentos não tinham controle ou censura.

A temperatura externa, definitivamente anormal e longe de ser natural, era apenas mais um incentivo para o tipo de pensamento que corria solto e desenfreado, vendo coisas que não existiam a não ser em seus desejos. Severo esticou a mão, como se pudesse tocar a fronte gotejada de suor, mas conseguiu se controlar.

Ao menos fisicamente, ele tinha que ser capaz de se controlar. Já que a mente mantinha-se rebelde, pelo menos o mínimo de decoro ele precisava manter.

Foi à pequena cozinha onde ocasionalmente fazia chá e sanduíches, disposto a pegar um copo de água para oferecer à moça. Um Aguamenti depois, ele voltou ao quarto.

A mente rebelde voltou com força total. Esqueceu o copo, esqueceu a água, esqueceu o decoro.

Parecia que outra pessoa invadira seu corpo. Severo viu a si mesmo deitar na cama, envolver o corpo quente em seus braços, deliciando-se com as formas irrepreensíveis, incapaz de sentir-se culpado. A sensação de entregar-se ao seu desejo, além do óbvio, era viciante.

“Droga,” pensou ele, dando-se conta das consequências mas sem o mínimo remorso.

— Você prometeu, Severo.

Ele suspirou, afundando o rosto no espaço entre o pescoço e o cabelo farto de Hermione.

— Eu sei.

Ela suspirou.

— Puxa, você quase conseguiu.

Severo pensou em rosnar, mas preferiu argumentar:

— Desafio bobo. E você tentou me induzir a perder o desafio!

Hermione pareceu escandalizada:

— Eu? Que calúnia!

— Você se jogou nos meus braços. O desafio era não encostar.

— E você achou que seria mais fácil se aumentasse a temperatura e me deixasse bem suada, sabendo que eu odeio suor?

— Noiva — Severo falou, entre beijos na pele macia e úmida —, talvez você precise ficar ainda mais suada para se acostumar à sensação. Afinal, o verão mal começou…

Ela o envolveu em seus braços, aproximando-se ainda mais dele.

— E você tem algum plano para me deixar ainda mais suada, meu noivo?

Severo Snape sorriu, antes de garantir:

— Tenho algumas ideias que, acho, você vai aprovar…

Hermione concordou sem discutir.

 FIM

Feliz Aniversário, Alan! 🙂

Happy Valentine’s!

Posted in Fanarts with tags , , , on 14/02/2012 by Shey

Olá meninas!! Feliz Valentine’s Day!!!

Para hoje eu selecionei uma fanart fofinha da Cuel-Crush. Espero que gostem.

The 'Cherable' Valentines by ~Cruel-Crush

Fofa, não acham? Eu adorei! Queria tanto um cupido (e um Sev) deste pra mim. Ai, ai…

Beijos, flores! Um Feliz Valentine’s Day para todas!

Shey

Sessão Codorna – Parte 2

Posted in $ Codornas $, Fanarts with tags , , , , on 12/02/2012 by Shey

Olá meninas, prontas para mais uma sessão Codorna? Espero que todas tenham feito seus check ups, pois a sessão de hoje está… Hum… Quente!

Portanto, e como de costume, se você, jovem Snapete, é menor de idade, por favor respeite o aviso de que as próximas linhas não condizem com assuntos, linguagens e/ou imagens para menores de 18 anos e ninguém aqui se responsabilizará pelo conteúdo que você não deveria ter visto. Afinal, o aviso foi dado. Seja paciente, espere alguns aninhos mais e volte depois. Siga o exemplo do Sev. Ele foi paciente, amou Lily por anos e cumpriu sua promessa de proteger o filho dela. Então, você também pode aguardar.

Agora, se você já é uma Snapete crescidinha… Abra a cortina abaixo e seja feliz, porque hoje é domingo, dia de Sessão Codorna! \o/

Continue lendo

E se Snape fosse…

Posted in E se o Snape fosse..., Fanarts with tags , , , , on 11/02/2012 by ferporcel

…modelo?

Moda outono-inverno com Severo Snape!

Beanies by ~madoldsquib

Beanies by ~madoldsquib

Sessão Codorna!

Posted in $ Codornas $, Fanarts with tags , , , , , on 05/02/2012 by Shey

Olá amigas Snapetes, todas bem? Sentiram minha falta?

*ouve resmundos ao lado*

Oi Sev, também fiquei com saudades!

*da bjin na bochecha*

Como eu ia dizendo…

Estamos estreando hoje uma nova sessão no Caldeirão do Snape. É a Sessão Codorna! Sim, vocês ouviram bem. A Sessão Codorna será totalmente dedicada ao que toda Snapete adora, e claro, ao que faz a cotação das nossas adoráveis codorninhas chegarem a níveis astronômicos! Não sabe o que é a cotação da Codorna? Leia tudo na coluna que a nossa amiga Cristie fez. Clique aqui. https://snapetes.wordpress.com/category/codornas/

Sendo assim, esta sessão trará nosso amado Mestre em situações mais calientes! Sim, sim, estou falando de artes, fanfics, drabbles e tudo o mais que pudermos encontrar em caráter NC-17, portanto, se você não gosta de tal conteúdo (aham… sei!), ou é uma  jovem Snapete menor de 18 anos, pedimos encarecidamente que respeite a censura abaixo e passe para o próximo post. Nós entendemos que é difícil abandonar o Sevvie assim, mas é para um bem maior, e, como você não é maior de idade AINDA, terá que aguardar um pouco mais para ler/ver o que preparamos.

Na sessão de hoje começamos com algumas fanarts. Portanto… liguem seus ventiladores, tragam os baldes de gelo, babadores e, claro, deixem os telefones prontos para uma chamada de emergência no 192! Se você tem problemas de pressão alta, diabetes, taquicardia ou simplesmente não pode passar por emoções fortes, não aconselhamos as cenas a seguir.

*Shey olha para as carinhas ansiosas à sua frente*

Hum… Estou vendo que ninguém vai me obedecer, né? Então…

APROVEITEM!!

Continue lendo