Arquivo para julho, 2011

SPA com Snape

Posted in Fanfiction, Férias do Snape with tags , , , on 30/07/2011 by ferporcel

— Ô de casa!

Fer ouve latidos e espera. Não demora muito e Claire aparece.

— Ah, você veio. Achei que tinha esquecido o Sev aqui.

— Não esqueci do Sev não. Estava ajeitando tudo para a estadia dele comigo.

— Então você conseguiu uma vaga?

— Vaga para o quê? — Sev entra na conversa, vindo de dentro da casa.

— Vejo que o tempo a mais que demos para ele entrar no clima de férias não foram suficientes — Fer comenta com Claire, ignorando a cara de poucos amigos dele.

— Sev, a Fer veio lhe buscar. Você está pronto para me deixar? — Claire faz cara de desolação.

Fer revira os olhos. — Vamos, Sev. Daqui até nosso destino temos uma hora de viagem.

— E onde seria esse destino?

— É surpresa. — Fer sorriu e trocou olhares com Claire, que riu baixinho.

o0O0o

— Chegamos, Sev. Vamos passar o fim de semana aqui.

— Aqui onde? Que lugar é esse?

Fer estaciona o carro e vira para ele, sorrindo. — Um SPA. Não viu a placa?

— SPA? Mas que diabos…

Fer saiu do carro e deixou ele reclamando sozinho. Logo ele a seguia para a recepção do lugar.

— Sejam bem-vindos ao SPA Sorocaba. Em que posso ajudá-los?

— Temos uma reserva. O nome é Prince.

A moça sorridente se ocupou com o computador da recepção. Fer aproveitou para espiar a cara do Sev.

— Vamos ver até quando dura essa sua cara feia — ela o desafiou.

— Vocês ficarão em nossa suíte luxo. Acompanhem-me, por favor.

o0O0o

— Sev, é a sunga ou é nada, você escolhe!

Fer já estava cansada da discussão. Como ele esperava entrar num ofurô coberto dos pés ao pescoço em roupas? Francamente…

— E não resmunga. Estou lhe esperando no corredor. Você tem cinco minutos.

Em quatro, Sev apareceu com o roupão preto do SPA e os chinelos que Claire havia comprado para ele.

— Tá lindo. Ficaria melhor se sorrisse. — Fer levantou os cantos da boca dele com os dedos. — Assim. Não se mexe! — Ela riu com a expressão feroz do olhar dele.

Ofurô

Minutos depois, a guerra recomeçou…

— Sev, você não pode entrar na água de roupão! — Ela tentou puxar a faixa que mantinha o roupão fechado, mas sem sucesso. — Tá bom! Eu vou aproveitar o ofurô sozinha, então.

Fer o deixou emburrado no meio do recinto e entrou no ofurô, suspirando e se acomodando para relaxar. Quando já estava de olhos fechados, ouviu a voz dele.

— O que é isso na água?

— Sou eu, Sev. — Fer riu, sabendo que não era essa a resposta que ele queria. — São ervas, claro.

— Isso eu sei, mas que ervas?

— Não sei. Só sei que está bom demais.

Fer só ouviu uns resmungos e abriu um dos olhos para ver qual era o problema. Deu de cara com o Sev de sunga e sorriu.

— Vem, Sev. Tá uma delícia.

o0O0o

— Sev. — Era a terceira vez que o chamava. — Sev!

Um olho se abriu preguiçoso.

— Está na hora da massagem.

Ele só resmungou e fechou os olhos novamente. Ela riu.

— Sev.

— Hum.

— Sai da água.

— Hum.

— Você está virando uma uva passa, daquelas brancas.

O olho dele se abriu para olhar feio para ela.

— Vem, sai da água. — Fer o puxou pelo braço. — Vamos para a massagem.

— Que tipo de massagem.

— Com pedras, Sev. Vai ser ótimo para os seus músculos e melhor ainda para você dormir beeeeem tranquilo à noite. Vem!

Ele finalmente saiu do ofurô, nem se importando em estar só de sunga. Fer sorriu novamente; o plano estava dando certo.

Massagem com pedras

Anúncios

Sorvete

Posted in Fanfiction, Férias do Snape with tags , , on 28/07/2011 by Claire


Ele estava sentando no sofá da sala e tinha a mala pronta ao seu pé. Mas Claire já sabia que ninguém viria buscá-lo. Não agora.

— Então é isso , Sev, ela não vem mais… — Claire tomava sorvete enquanto falava com ele, já o sorvete dele estava na mesa do centro da sala, intacto.

— Não tenha tanta certeza, Senhorita Dlune.

— Mas eu confesso, Sev, que eu gosto da idéia de te ter aqui até o final das suas férias.

— Desde que você não me leve mais naquele lugar barulhento.

— Eu sei… Eu sei… Você precisa relaxar mais. Que tal se você vestir aquela linda camisa de abacaxis, e nós irmos dar uma volta. Sei lá… Ir ver o Pôr-do-Sol.

— Só explica, o motivo de eu ter que vestir aquela camisa ridícula para sair daqui. — Ele perguntou cortante.

— Você tem que entrar no clima de férias, ficar mais tranquilo.

Ele bufou e ela deu de ombros. Ela sentou do lado dele e continuou a tomar sorvete.

— De que sabor é o sorvete?

— O meu é de morango. — Ele assentiu. — Quer provar?

— Não, obrigado.

— O seu é de chocolate. — Assim, ela pegou o sorvete da mesa e provou uma colher.

— Com licença, senhorita Dlune, mas a senhorita já tem o seu. — Ele disse tirando o sorvete da mão dela.

— Eu só experimentei. – Ela disse enquanto o viu comer.

O barulho de satisfação vindo do fundo da garganta dele era tentador.

— Se você quiser provar, tem que ser do meu jeito. — Ele falou em desafio.

Então ela pensou que se as Snapetes esquecessem que ele ainda estava na casa dela, ela não iria ligar.

— Posso provar então?

A Balada do Mago

Posted in Fanfiction, Férias do Snape with tags , on 23/07/2011 by Claire

Quando ele chegou em Campinas, já era quase noite, e no aeroporto de Viracopos não sabia direito como se portar junto dos trouxas. Clau tinha orientado ele a não usar magia e aproveitar as férias. Mas ele não sabia direito como achar a mala até ela vir numa esteira junto de várias outras. Ele pegou a própria mala e se encaminhou seguindo outras pessoas saindo do local. Após passar um dos portões, ele encontrou Claire segurando uma plaquinha com o seu nome.

— Oi, Sev, fez boa viagem?

— Sim — ele respondeu sério, ainda observando os trouxas. — Ninguém disse para vocês que eu aceitei isso.

— Você está aqui, não está? Vamos, primeiro as encomendas.

Eles encaminharam-se para fora do aeroporto, e Snape teve que entrar num carro trouxa que Claire se referia como “A Joaninha”. Aparentemente, pelo formato e cor do carro, ele tinha ganho esse nome. Claire explicou no caminho que eles estavam indo a um grande shopping ali perto, que eles precisavam comprar novas roupas para ele conseguir viver no clima tropical. Ele ainda estava desconfiado.

— Lembre-se, Sev, não use magia, ok? Seria catastrófico ter que obliviar tanta gente.

Ele observarva como Claire dirigia aquela engenhoca, ele jamais foi capaz de imaginá-la dirigindo um carro. Chegaram ao local, e ele se sentia meio atordoado. Claire falava sobre roupas leves, boas botas, chinelos e um negócio que ele não sabia o que era chamado sunga. Ele não queria saber porque ela ria baixo quando falava sobre isso.

Dentro de uma das lojas, ela o colocou em uma das cabines e lhe passou algumas roupas. Momentos depois, ele abriu a porta e estava vestido com uma bermuda branca e uma camisa todas estampada de abacaxis.

— Obviamente — ele disse da forma mais fria que ela já ouvira —, você está de brincadeira.

Ela riu e lhe passou outras roupas, estas com tons negros e mais escuros. Que ele aprovou. Depois de provar umas roupas com a concordância dela, eles pagaram e sairam da loja.

— Senhorita Dlune, o que seria uma sunga?

— Não se preocupe, Sev, eu lhe comprei uma e você saberá do que se trata quando precisar usar. Claro que alguém vai ter que me enviar uma foto por isso.

— É exatamente por isso que eu me preocupo.

— Tudo a seu tempo, Sev. Vamos, antes que seja tarde. Pegue. — Ela lhe deu uma das sacolas de compra. — Vista isso, vai precisar para onde vamos.

Ela mostrou a ele um dos banheiros do lugar, e ele a obedeceu. Droga, ele a obedecia. Algo dizia que ele não devia deixar que essas malucas planejassem as suas férias. Minutos depois, ele saiu de calça jeans e camisa preta. Ainda se parecia com ele, e ela estava lá esperando, pronta, e ele teve certeza que ela usou magia pra ficar pronta tão rápido. Eles saíram do shopping e entraram novamente no carro em formato de joaninha. Ela estava animada e falante, dizia sobre como era o lugar, e ele entendeu algo sobre dança.

— Dançar?

— Claro, Sev, são suas férias, relaxa.

Eles chegaram num lugar barulhento, cheio de gente e uma longa fila na porta. Ele não conseguiu deixar de torcer os lábios em desagrado. Claire deixou o carro com um rapaz na porta e o puxou pela mão.

— Vem, não precisamos pegar fila.

Quando chegaram no segurança, ela apenas acariciou a face dele, riu e cochichou. Magia, ele tinha certeza que era um Imperius. E assim, eles entraram. Ele nunca tinha visto um local assim antes, a música era alta, batia um som grave em seus ouvidos, era escuro e as poucas luzes que tinham eram coloridas e intermitentes. Ela dançava e dançava, e ele estava ali parado num canto observando. Aquilo estava fora de controle, não era o local dele, ele não devia deixar suas férias nas mãos delas. Foi quando ele viu uns rapazes que chegaram para dançar com ela, e quando ela os empurrou eles não foram embora. Alguma coisa ele tinha que fazer, mas sem magia?

Então, sem pensar muito, ele passou pela multidão, a abraçou e olhou diretamente nos olhos dela com os rostos próximos. Os encrenqueiros se afastaram, e ela sorriu. Claire enroscou os braços em sua nuca acariciando os cabelos negros.

— Você demorou pra vir — ela disse.

— Você não devia se meter nesses lugares.

— Não me preocupei porque você está aqui — ela disse deitando a cabeça no ombro dele.

— Vamos, vamos embora.

— Vamos sim — ela disse, mas sem soltá-lo. — Não se preocupe com as suas férias, amanhã a Fer vem te buscar na minha casa e ela é o superego da nossa turma. Não vai te meter numa balada doida feito essa. —  Ela olhou para ele e sorriu. — Suas férias vão ser ótimas, Sev.

— Começo a gostar delas — ele disse enquanto ainda a abraçava.

Passeio em Londres

Posted in Fanfiction, Férias do Snape, Visitas ao Snape with tags , , , , on 22/07/2011 by claurabelo

O homem vestido de negro, mas sem os esvoaçantes trajes habituais, resmungava a cada passo que dava.

— Não estou gostando disso, você não…

A mulher à sua frente cortou a frase antes que ele pudesse revidar.

— Nada de muxoxos, Severo, eu vim de muito longe para lhe ver , e o mínimo que estou lhe pedindo é um simples passeio. Além do mais, um pouco de ar puro vai lhe fazer bem.

— Ar puro? E desde quando os ares londrinos são benéficos? Mais fácil eu me intoxicar com os odores do Tâmisa — ele continuava em sua lamúria, porém a seguia nas proximidades da enorme estrutura metálica.

— Veja! Eu sempre sonhei em vir na London Eye, dizem que a vista lá de cima é magnífica e…

— Você acredita mesmo que eu vou entrar nisso?

— Não só acredito como já até comprei os ingressos. Olha aqui, cabine exclusiva com direito a privilégios. Vamos… lá em cima tem outra surpresa para você.

— Merlin, o que você… Aliás, isso não é coisa só sua, é? Tem dedo, digo, dedos de todas elas, não?

— Ah não ! Você não vai ler a minha mente. Isso só responderei lá em cima após um belo gole de champanhe. Agora entre feito um bom menino que você não é. — Ela riu mais uma vez imaginando a reação dele quando souber da surpresa que haviam preparado.

Minutos mais tarde….

— Vista perfeita não? Superou todas as minhas expectativas, esse anoitecer é lindo! — Tomou mais um gole e  falou: — Bom, vamos ao que interessa. Como você mesmo já deduziu, tem mais gente por trás dessa aventura. Nós achamos que depois de tanta exposição você merecia tirar umas férias, portanto, aqui está seu voucher para a primeira etapa.

O homem  silencioso até então olhou para a mulher à sua frente e esboçou um sorriso.

— Hum… sei. Quer dizer que agora vocês também tomam decisões na minha vida? — E pegando o papel, leu curioso: — Viracopos… O que é isso?

— Um aeroporto, oras! Sua primeira anfitriã nessas férias será a Claire. Acho que você irá aproveitar bastante o que cada uma de nós reservou.  Agora vamos terminar de aproveitar o visual, porque meia hora passa muito rápido.

Chá de Sumiço!

Posted in Fanarts, Fanfiction, Férias do Snape, Visitas ao Snape with tags , , , , on 20/07/2011 by ferporcel

Recado de Férias

A Nandda quer saber…

Posted in Enquetes on 06/07/2011 by Nandda

Olá Snapetes lindas do meu coração,

O derradeiro filme estreia em poucos dias, infelizmente já sabemos o que está reservado para o mais nobre herói criado por essa escritora desalmada. Pensando no momento mais triste que haverá no filme, eu quero saber…

 

Dia 15 de julho, eu conto com todas vocês, para estarem no cinema dando todo apoio e carinho que o nosso Sev merece.