Arquivo de dezembro, 2010

Patrono

Posted in Fanarts, Snapeando with tags , , on 19/12/2010 by ferporcel

Nesta semana vamos continuar mostrando os detalhes da Operação Espada. Sev, para continuar ajudando sem ser notado, precisou lançar mão de mais que uma artimanha de comunicação. O coração de Severo estava ali, falando por ele.

PASSO 2: O Patrono

Deve ter doído colocar esse pedaço tão íntimo de si à disposição dos objetivos de guerra. O Patrono do Sev não é mais um artifício mágico em seu poderoso arsenal. O Patrono do Sev é sua vida, a expressão de um amor só dele e que não conseguiu – não se permitiu – abrir mão durante toda sua vida.

Snape’s Patronus by *TallyCat on deviantART

E agora o amor de Severo estava entrando em guerra, por ele e pelo ideal de sua vida: compensar a morte de Lílian.

É… são tantas emoções… *rs*

Sev, adoro você e o seu Patrono fofo, viu? Lindo!

Fer

Escondido

Posted in Fanarts, Snapeando with tags , , on 12/12/2010 by ferporcel

Sev, o agente duplo mais secreto do mundo, naquele ano fatídico, teve muuuuuuuuuito trabalho para manter sua identidade de mal. A entrega da espada de Gryffindor para o trio deve ter demorado porque nosso Sev teve que bolar toda uma operação cinematográfica para não ser pego ajudando os mocinhos. Estratégia com requintes de… romance?

Esse episódio da entrega da espada coloca os corações mais moles em disparada. Ai, ai. Mas a parte romântica eu vou deixar para outro dia, pois hoje vamos ver apenas a primeira parte do que eu chamo de Operação Espada. Ao longo das semanas veremos passo-a-passo deste plano genial!

PASSO 1: Esconder a Espada

O primeiro passo foi colocar a espada dentro do lago congelado. Isso requer um pouco de trabalho de varinha para abrir o gelo, colocar um feitiço para que Accio não funcione para trazer a espada (o que eu acho que foi o lado cruel e vingativo do Sev atuando), e fechar novamente o gelo do lago.

Dark Knight of Magic by ~rawenna on deviantART

Pronto, agora é só atrair o Moleque Que Sobreviveu. *rs*

Mas esse é o passo dois da Operação Espada e fica para a semana que vem.

Beijos,
Fer

Seminal 1

Posted in Snapeando with tags , on 11/12/2010 by magalud

Uma extensa pesquisa me levou a atrasar a coluna, pelo que peço mil desculpas aos que acompanham essas breves palavras. Literatura não é muito meu campo e tive que me embrenhar para entender algumas coisas.

Uma delas é o fascínio pelo chamado herói byroniano, no qual enquadramos Severus Snape. Lendo sobre Lord Byron (ver coluna de 18/11/2010, “Lorde Severus Byron?”), não foi difícil descobrir que o buraco é mais embaixo. Byron podia ser autobiográfico, mas ele tinha se inspirado em gente que escrevia romances 50 anos antes dele, os chamados góticos ingleses.

Continue lendo

O Novo Diretor

Posted in Fanfiction with tags , , , , , on 11/12/2010 by cdalmolin

Esta ficlet foi inspirada na fanart The Headmaster Returns, by ~cabepfir on deviantART, postado pela ferporcel em Diretor Snape.

Preparem os lencinhos…

Continue lendo

A Dor do Amanhecer

Posted in drabbles, Fanfiction, Visitas ao Snape with tags , , , , , , on 07/12/2010 by Claire

As luzes da rua apagavam-se aos poucos e o Sol irrompia o dia numa violenta alvorada. Ele não queria que o dia viesse mostrar o que a noite se tornou.

O seu pior pesadelo acontecera, naquela noite de Halloween, e ele não queria encarar os fatos. Era sua culpa, sua máxima culpa. A sua sede de tê-la para si, fez com que ele a perdesse para sempre.

Mas a partir daquele dia ele não se submeteria mais a si mesmo, nem se submeteria àqueles que a levaram. Agora ele se entregaria ao inimigo para ter uma morte lenta e dolorosa.

— Você nem vai conversar comigo hoje?
— Não… Vai lá, mandar caldeirão de bronze pra alguém, vai…

A morte que ele tanto queria teve que esperar, haviam planos maiores. Mas ele estava certo quanto a parte do “dolorosa”.
Só uma drablle de 100 palavras, que a “Assistente do Sev” faça mais.
😛

Beijos
Claire

Jornada Dupla

Posted in Fanarts, Snapeando with tags , , , , , on 05/12/2010 by ferporcel

Talvez o episódio destacado hoje não seja classificado como um dos mais importantes e decisivos para o final bem sucedido da guerra contra Voldemort, mas achei melhor contextualizar bem o que foi aquele ano (e os anteriores também) na vida do Sev.

Ser diretor de Hogwarts lhe deu uma vantagem geográfica e estratégica dentro da guerra muito grande, mas também veio com muitos empecilhos e responsabilidades extra que certamente causaram muita dor de cabeça ao Sev. Cuidar do dia-a-dia do castelo, ficar de olho nos “colegas” de trabalho a todo tempo, proteger os alunos da ira dos Comensais e impedir que o tirassem do objetivo maior: derrotar o Lorde das Trevas.

Caught by *LoonyL on deviantART

Por que que nada pode ser fácil na vida do Sev, né? Ainda bem que todo esse stress acabou e ele pode relaxar aqui com as Snapetes. 😉

Fer

De Volta Às Masmorras

Posted in Fanfiction, Visitas ao Snape with tags , on 04/12/2010 by cdalmolin

A garota vagava desanimada pela floresta. Tinha muitas lembranças felizes de seus dias no País do Fogo, mas depois de algum tempo lhe parecia que faltava alguma coisa. As madrugadas sem suas amigas de confidências com certeza não eram mais as mesmas; e há muito tempo ela não sentia mais o arzinho gélido e úmido mesmo nos dias mais quentes de verão, acompanhado do odor de musgo misturado com as ervas e demais ingredientes do laboratório de Poções que invadia os corredores das masmorras de Hogwarts. E o que dizer da voz aveludada, sussurrando seu nome com o cenho franzido toda a vez que ela insistia em mexer duas vezes a mais que o instruído ou acrescentado uma perna de aranha a menos no caldeirão? Os ninjas que ela conhecera podiam ser muito interessantes, mas estava certa que nenhum se comparava ao charme intrigante e único do Professor Snape.

Entretanto, onde ela estava não havia lugar para a magia encanada em varinhas. Também não havia encontrado nenhuma lareira ou Pó de Flu para viajar à vontade entre Hogwarts e Konoha. Suas amigas certamente já estavam preocupadas, imaginando que ela fora seqüestrada ou algo parecido – só esperava que elas não acreditassem que ela seria realmente capaz de se jogar através do Véu atrás de Sirius Black.

Distraída, a garota não percebeu a coruja que voava cansada acima dela. Irritada com a falta de atenção, a ave simplesmente deixou cair o pacote que deveria entregar e saiu piando indignada. O pacote era razoavelmente pesado, e doeu quando bateu na cabeça de seu destinatário e caiu no chão, soltando um ruído metálico. Em meio a xingamentos, a garota olhou para baixo procurando o que a atingira, e quando o achou, ela sorriu lendo o pequeno envelope com os dizeres:

 

Srta. BastetAzazis

Seqüestrada por ninjas

em algum lugar do País do Fogo

 

Dentro havia apenas uma simples frase: “Feliz Aniversário”. Não tinha remetente, era apenas um bilhete seco, mas reconfortante quando vindo na hora certa. Ela sabia que só existia uma pessoa capaz desse timing.

Confirmando suas suspeitas, o conteúdo do pacote se revelou um caldeirão de bronze fundido, tamanho médio. Uma peça daquelas não servia para nada onde estava, o que só podia significar uma coisa. A aniversariante segurou seu presente com as duas mãos e fechou os olhos. Quando os abriu novamente, lá estava ele, envolto em sombras e em suas vestes negras.

– Boa noite, Srta. Bastet.

– Snape! – ela exclamou. Se fosse qualquer outro personagem dos que ela havia deixado em Hogwarts, já teria corrido para abraçá-lo, mas ela sabia que esta seria uma falta imperdoável para o Mestre de Poções. – Você me trouxe de volta!

Ele deu de ombros.

– Hunf! Não sei do que a senhorita está falando.

– Ah, não? – Ela o considerou com olhos estreitos. – Não foi você quem me mandou uma coruja carregando uma Chave de Portal que, coincidentemente, me trouxe justamente para o seu laboratório?

Snape soltou um longo suspiro e acenou com a varinha.

– Dez pontos para a Sonserina pelo raciocínio rápido, Srta. Bastet – ele declarou, dando-lhe as costas, sua atenção agora totalmente tomada por um caldeirão borbulhante.

– Como assim ‘dez pontos para a Sonserina’ e só? – ela reclamou, colocando as mãos na cintura e franzindo o cenho para as costas do professor. – Você me trouxe de volta para as masmorras e não diz nada? Nenhum sorrisinho por estar feliz em me ver?

O Professor Snape virou o rosto para trás, encarando a aprendiz em descrédito.

– A senhorita esteve ausente por muito tempo. É melhor recomeçar seus afazeres logo antes que eu aumente o tempo da sua detenção.

– O quê? Você está me deixando em detenção?

– É claro que sim! A senhorita fez muita falta durante todo esse tempo de ausência.

Os olhos da garota se iluminaram. Ela conhecia muito bem o carrancudo a sua frente para entender um elogio vindo das palavras aparentemente ríspidas.

– Quer dizer que você estava com saudades, é? – ela provocou.

– Hunf! – o professor bufou, cruzando os braços. – Se a senhorita tem tempo para ficar fazendo conjurações absurdas, é melhor começar a escrever.

– Está bem, está bem… – ela respondeu, fazendo uma careta enquanto juntava algumas penas e pergaminhos numa mesinha próxima.  – Prometo que vou compensar todas as minhas faltas, você não vai se arrepender! – completou, com uma piscadela.

Snape levantou apenas um canto dos lábios; ele não concederia vitória à assistente soltando-lhe um sorriso aberto. Entretanto, permaneceu algum tempo observando-a, garantindo-se de que ela estava compenetrada na sua detenção. Parecia que as coisas tinham voltado ao normal nas masmorras…

 

Este post foi só para explicar meu sumiço das masmorras, mas que graças ao nosso herói Snape, já está tudo resolvido! Afinal, eu não podia ficar de fora desta homenagem linda ao nosso Mestre de Poções favorito!

Graças a detenção que ganhei, estarei muito… é.. err… ocupada… *cof, cof*  escrevendo… *cof, cof* com o Mestre de Poções. Mas prometo que sempre que a real life deixar, venho aqui para deixar algumas “Missing Scenes” que a desalmada da J.K.R. esqueceu de contar nos seus livros.

Bjs para todos e espero que gostem do que vem por aí!